Sociedade

"O nosso país está à beira de controlar a situação epidémica, temos de fazer um esforço final", apelou Graça Freitas

Fazer férias de forma diferente, um "esforço final" para conter a propagação da doença em Portugal e a preparação das unidades hospitalares da região de Lisboa e Vale do Tejo foram alguns dos tópicos abordados pela diretora-geral da Saúde, Graça Freitas e pelo secretário de Estado da Saúde, António Sales.

No balanço diário das autoridades de saúde portuguesas sobre o coronavírus em Portugal desta sexta-feira foram abordados vários assuntos como o aumento do número de casos na região de Lisboa e Vale do Tejo nos últimos dias e a abertura da época balnear

Depois de ter dado conta dos números desta sexta-feira, o secretário de Estado da Saúde, António Sales, deu conta que a rede nacional de cuidados continuados integrados que assinala 14 anos de existência. Em 372 unidades, 13 contam com a existencia de 26 casos do novo coronavírus, uma diminuição em relação aos últimos dias. Desde o dia 22 de abril  que não se regista qualquer morte na rede nacional de cuidados continuados, o que é também "uma boa notícia". 

Durante o balanço diário, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, lançou um apelo à população portuguesa em que pediu  às pessoas que estão infetadas com covid-19 para cumprirem o isolamento de 14 dias de modo a conter a propagação da doença. "Todas as pessoas que sabem que estão positivas para covid, tenham ou não tenham sintomas, e todas as pessoas que são os seus contactos próximos, têm indicação para ficar em isolamento", disse. "O nosso país está à beira de controlar a situação epidémica, temos de fazer um esforço final para quem está positivo ou é contacto deste cumprir o isolamento para não contagiar amigos, conhecidos, colegas e familiares" acrescentou a diretora-geral da Saúde. 

"Já passámos por várias fases, a perceção do risco difere ao longo da pandemia.Temos alguns indicadores que a perceção do risco, do perigo começa a ser menor, se essa perceção é menor é normal que tendem a abandonar o estado de isolamento de confinamento. É por isso que há este apelo", afirmou Graça Freitas, alertando que se está a falar de "uma doença que contagia".

Graça Freitas pediu ainda aos portugueses para fazerem as suas férias de uma forma diferente este ano, devido á situação que o país enfrenta. "Este ano vamos poder fazer férias, mas de forma diferente. Temos que manter o nosso distanciamento físico em relação a outras pessoas que não são aquelas com quem habitualmente convivemos", pediu.

Com a abertura da época balnear, este sábado, e a ida de muitas pessoas para a região do Algarve, o Governo vai assinar um despacho "que autoriza a mobilidade temporária de médicos e enfermeiros para serviços e estabelecimentos de saúde situados na área de Administração Regional de Saúde do Algarve, de acordo com as necessidades", anunciou o secretário de Estado. Esta medida tem como objetivo garantir a prestação de cuidados de saúde na praia e o controlo da situação epidemiológica na região com o aumento do número de pessoas durante a época balnear. Os profissionais de saúde poderão consultar as vagas no site da ARS e candidatar-se por email.

Sobre o número de testes na região da Grande Lisboa, onde foram confirmados o maior número de casos diários - cerca de 89%, "o INEM já fez cerca de 13 mil e 500 colheitas", das quais 5 mil foram realizados esta quinta-feira, afirma António Sales. "Mantemos a estratégia de testar, identificar e isolar estes focos", apontou o secretário de Estado da Saúde.

Questionado sobre as unidades hospitalares, António Sales afirmou que apesar da situação em Lisboa e Vale do Tejo necessitar de alguma atenção acrescida por parte das autoridades de saúde, a rede de ventilação dos hospitais da região está preparada para um cenário mais negro.  Neste momento existe uma oocupação de 62% nos internamentos, 350 camas ocupadas e 215 camas vagas. "Só entre 16 a 20% é que é uma taxa de ocupação covid-19" na generalidade do país, afirmou o governante.