Internacional

Mulher indiciada por homicídio por negligência depois de filho da empregada cair de 9.º andar

Miguel, de 5 anos, morreu depois de ser deixado sozinho num elevador. A patroa da mãe, responsável pela criança naquele momento, é mulher de Sérgio Hacker, prefeito do município de Tamandaré, em Pernambuco, no Brasil.

Uma criança, de cinco anos, morreu, esta quarta-feira, no Recife, no Brasil, depois de cair do 9.º andar de um prédio, onde a mãe trabalhava como empregada doméstica.

De acordo com a Polícia Civil, o menino, Miguel da Silva, caiu de uma altura de cerca de 35 metros, depois de ser deixado pela mãe, Mirtes Souza, sob responsabilidade da sua patroa, Sari Gaspar Corte Real, enquanto saia para passear o cão da família.

Segundo a imprensa brasileira, Sari Gaspar Corte Real acabou por ser indiciada por homicídio por negligência. Foi detida e acabou por sair em liberdade depois de pagar uma fiança de 20 mil reais, 3.580 euros. A polémica adensa-se uma vez que a mulher é casada com Sérgio Hacker, prefeito do município de Tamandaré, em Pernambuco.

As imagens das câmaras de videovigilância, mostram que, enquanto a mãe estava fora, a criança tentou entrar duas vezes no elevador do prédio. As imagens mostram Sari a falar com o menino e a permitir que este entrasse sozinho no elevador, que acabou por o levar ao 9.º andar do edifício, de onde caiu.

 “A gente observa que ela [Sari Corte Real] aperta um outro andar superior ao apartamento em que residia e a criança acaba, de forma inesperada pela investigação, a ficar só no elevador. Ela sobe, pára no primeiro andar e depois, ao abrir a porta do 9º andar, desembarca”, disse o delegado da Delegacia Seccional de Santo Amaro, Ramon Teixeira.

Após sair do elevador, a criança teve acesso a uma área onde existem condensadores de aparelhos de ar condicionado, sem proteção e acabou por cair.

A polícia diz que a morte foi acidental, mas destaca que a criança nunca devia ter sido deixada sozinha.

“Ela confiava os filhos dela a mim e a minha mãe. No momento em que confiei meu filho a ela, infelizmente ela não teve paciência para cuidar, para tirar [do elevador]. Eu sei, não nego para ninguém: meu filho era uma criança um pouco teimosa, queria ser dono de si e tudo mais. Mas assim, é criança. Era criança”, disse a mãe do menino, em declarações à TV Globo, explicando ainda que levou a criança para o trabalho porque não tinha com quem o deixar.

Numa nota enviada à imprensa, a Prefeitura de Tamandaré informou que o prefeito do município, Sérgio Hacker Corte Real, se encontra "profundamente abalado" pela morte de Miguel, e diz que este vai prestar informações aos órgãos competentes "no momento próprio e de forma oficial".