Sociedade

"Polícia bom é polícia morto". Sindicato de polícias vai apresentar queixa devido a mensagens que incentivam ao ódio

ASPP/PSP realça que  “não são este tipo de mensagens que contribuem para a construção de uma sociedade mais justa, mais livre e mais igual”.

A Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP/PSP) vai apresentar queixa no Ministério Público contra manifestantes que, no sábado, durante os protestos contra o racismo e a violência policial, exibiram mensagens que “promovem ou incentivam ao ódio" contra a polícia.

Em comunicado, o sindicato exemplifica com um cartaz que tinha a mensagem “polícia bom é polícia morto” escrita.

“Esta mensagem, desenquadrada do motivo da manifestação, reflete bem a intenção de quem a exibia”, refere a ASPP/PSP, realçando que “não são este tipo de mensagens que contribuem para a construção de uma sociedade mais justa, mais livre e mais igual”.

Desta forma, o sindicato anuncia que vai apresentar uma queixa, por crime de “incitação ao ódio”, no Ministério Público, contra “todos aqueles que exibiram através de cartazes ou de qualquer outra forma, durante as manifestações, mensagens que promovem ou incentivam ao ódio contra os profissionais da polícia”.

Paulo Rodrigues, presidente da ASPP/PSP, Paulo Rodrigues, disse, em declarações à agência Lusa, que a queixa será formalizada esta segunda-feira. O responsável diz desconhecer em que manifestações foram exibidas as mensagens e se estas resultam de atos isolados de manifestantes ou concertados de grupos.

Recorde-se que, no sábado, milhares de pessoas de manifestaram nas ruas de Lisboa, Porto e Coimbra, replicando os protestos levados a cabo noutros países depois da morte de George Floyd, afro-americano que morreu asfixiado por um polícia nos EUA.