Sociedade

Identificados surtos em 13 freguesias de Lisboa

Amadora é o foco de maior preocupação das autoridades.

A região da Grande Lisboa continua a ser aquela que gera maior atenção das autoridades de saúde portuguesas.

A zona tem representado "consistentemente mais de dois terços do número diário de novos casos", sublinhou a ministra da Saúde, na conferência de imprensa desta quarta-feira.

Marta Temido revelou que há surtos em 13 freguesias dos concelhos da Lisboa, Loures, Odivelas, Sintra e Amadora, sendo este último o que regista maior incidência de novos casos, 99,6 por 100 mil habitantes.

Os 13 surtos associados a freguesias localizam-se em Arroios, Queluz, Agualva e Mira Sintra, Santo António (Lisboa), Encosta do Sol (Amadora), Mina d'Água (Amadora) e Rio de Mouro (Sintra).

Estas freguesias "são as que concentram o maior número de casos, que continuam a ser acompanhados", avançou Marta Temido.

A governante adiantou que foram realizados 14.057 testes, nestes concelhos, dos quais 664 acusaram positivo para o coronavírus. Destes, 10% estão concentrados nas empresas de construção civil informou ainda Marta Temido.

Nesse sentido, será criada uma norma específica para a área da construção civil, que deverá ser divulgada até ao final desta semana.

A conferência de imprensa fica ainda marcada pelo anúncio da criação de um gabinete regional dedicado à situação em Lisboa e Vale do Tejo.

O foco do gabinete será identificar de cadeias de transmissão e acompanhar os novos surtos ativos na região da Grande Lisboa.

Será coordenado pelo médico de saúde pública Rui Portugal e integrará autoridades de saúde regionais e locais.

A governante sublinhou também que a estratégia nesta região continua assente em apoio domiciliário, realojamento, sinalizações sociais, educação para a saúde, necessidades alimentares e no encerramento de alguns espaços.

Por outro lado, embora a situação na região continue complicada, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, que também marcou presença no briefing de hoje, fez saber que o Governo admite baixar o nível de alerta em Portugal no início de julho.

Recorde-se que os centros comerciais e os serviços públicos da Grande Lisboa vão reabrir na segunda-feira, depois de ter sido decidido em Conselho de Ministros o levantamento de medidas restritivas, que continuavam a vigorar na região face ao crescimento de novos casos na região.