Sociedade

Graça Freitas admite que é "frequente" identificar casos de covid-19 em voos que chegam a Portugal

Este sábado foram abordados vários assuntos durante o balanço diário das autoridades, como o "pequeno surto" em Espinho, as pessoas que voam para Portugal infetadas com covid-19 e o facto do país ser o segundo da UE com maior número de novos casos positivos.


A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, admitiu, este sábado, durante a conferência de imprensa diária sobre a covid-19, que é "frequente" pessoas infetadas com covid-19 chegarem ao país através de voos internacionais.  "Não sei dizer exatamente quantos casos foram detetados, mas sei que é frequente a minha colega [da Direção-Geral da Saúde] identificar um ou dois casos em determinados voos", indicou a diretora-geral da Saúde . "Não é em todos, mas não é uma situação rara, acontece com alguma frequência", referiu. Com um maior fluxo de aviões, Graça Freitas garante vão ser aplicadas mais medidas para garantir a segurança dos portugueses.

 Graça Freitas, anunciou que existe um "pequeno surto" num bairro piscatório em Espinho. Um pescador infetado com o novo coronavírus acabou por contagiar as pessoas "da sua habitação e que frequentam o  mesmo café". No entanto, Graça Freitas afirma que tudo indica que seja um "surto circunscrito": Já foram realizados 54 testes na região, dos quais 14 deram positivo e as pessoas infetadas estão isoladas, como os seus contactos próximos.

Questionada sobre a reabertura dos ATL, prevista para esta segunda-feira, dia 15, Graça Freitas afirma que as orientações para os centros de atividades de tempos livres serão publicadas ainda este sábado, para garantir que os espaços conseguem preparar 

Foi ainda abordada a decisão das autoridades de saúde chinesas de encerrar onze bairros em Pequim para conter a propagação do novo vírus, depois de ter surgido um novo foco de casos de covid-19, no distrito de Fengtai. Pela primeira vez, no espaço de 18 dias, foi registado um caso de contágio local. Graça Freitas diz que olha para a situação com "preocupação".

"Essa é a preocupação de todos nós, estamos numa pandemia. Há focos e pandemias localizadas que têm sido mais ou menos controladas e depois sofrem um retrodecimento. Não podemos estar, nunca, descansados, o vírus circula a nível planetário", explica Graça Freitas. "A situação está controlada, mas sempre que levantamos a mão da mola um bocadinho, o vírus circula", acrescentou a diretora-geral da Saúde.

O secretário de Estado da Saúde, António Sales, anunciou que "mais de 83% dos profissionais de saúde infetados pela covid-19 já recuperaram da doença", o que corresponde a mais de 2.900 profissionais, e regressaram ao trabalho. 

Sobre a situação na região de Lisboa e Vale do Tejo, que tem registado o maior aumento de número de casos diários em todo o país, o secretário de Estado da Saúde afirma que já foram realizados 14 mil testes, dos quais "cerca de 95% tiveram resultados negativos e 5% positivos" e afirma que a testagem em massa tem contribuído muito para o aumento do número de casos no boletim epidemiológico diário. 

Questionado sobre o facto de Portugal ser o segundo país com maior número de novos casos positivos da UE, o secretário de Estado António Sales afirma que "estamos perante uma maratona" e que "isto não é uma disputa entre países" mas sim "um exercício coletivo onde todos temos a aprender com todos", sublinhou. "A nossa estratégia passa por proteger faixas mais vulneráveis",  explicou o governante, referindo que a incidência do vírus em pessoas acima dos 65 anos baixou de 36% para 31,3%.