Economia

Vendas da H&M caíram para metade entre março e maio

As vendas pela internet cresceram 36%, em moedas locais, e 32%, em coroas suecas, no mesmo período.

As vendas da cadeia de moda sueca Hennes & Mauritz (H&M) caíram 50% no segundo trimestre do ano fiscal (março-maio) em relação ao período homólogo devido à pandemia de coronavírus, revelou a empresa.

O volume de negócios total neste período foi de 28.664 milhões de coroas suecas (2.725 milhões de euros).

As vendas pela internet cresceram 36%, em moedas locais, e 32%, em coroas suecas, no mesmo período.

O principal concorrente da empresa de distribuição espanhola Inditex destacou, em comunicado, que foi forçado a fechar as suas lojas na maioria dos países devido à crise e que, em meados de abril, 80% das lojas não estavam operacionais.

"O grupo H&M reabriu com sucesso as lojas na maioria dos seus mercados. A reabertura nos respetivos mercados está adaptada às diferentes restrições locais. A taxa de recuperação das vendas varia muito de um mercado para outro ", escreve a empresa.

Cerca de 18% das 5.058 lojas da H&M ainda estão fechadas, enquanto as vendas pela Internet operam em 48 dos seus 51 mercados digitais.