Economia

Produção automóvel cai para metade. Setor pede ajuda ao Governo

Fábricas portuguesas produziram 15.965 veículos em maio.

A produção automóvel registou uma quebra de 50,6% no mês de maio quando comparada a igual período do ano passado para uma produção de 15.965 automóveis ligeiros e pesados.

Os dados foram divulgados esta segunda-feira pela ACAP que revela ainda que em termos acumulados, nos primeiros cinco meses deste ano, foi registada uma queda de 39,2% em comparação com o período homólogo, o que corresponde a 94.407 unidades.

Face a estas quebras significativas, a ACAP pede ajuda ao Governo. “Sendo Portugal um país onde a indústria automóvel tem um peso muito importante, quer ao nível do emprego, do PIB e das exportações, representando 25% do total das exportações de bens transacionáveis, é urgente que o Governo português implemente um plano de incentivo à procura no nosso sector, como já fizeram os Governos francês, alemão e hoje mesmo o espanhol”, pede a ACAP que explica como funciona o plano.

“Este plano deve passar por um incentivo ao abate de veículos em fim de vida o que levaria à renovação do parque automóvel e iria dinamizar o mercado assim como asseguraria os níveis de produção da nossa indústria. Este programa deveria permitir, como acontece naqueles países, que ao enviar um carro antigo para abate se pudesse adquirir um veiculo que podia ser a gasolina, a gasóleo ou eléctrico, com menos emissões do que o veiculo abatido”, avança ainda.

O programa, segundo os dados da associação, permitira uma poupança energética de 3,2 milhões de litros de combustível por ano.

“A ACAP lamenta que o Governo, tendo em conta a queda da produção automóvel assim como das vendas no nosso país, ainda não tenha tomado uma decisão equivalente à que foi tomada pelos Governos francês, espanhol ou alemão. Defendemos, igualmente, uma redução temporária da taxa de IVA, na compra de automóveis, como forma de dinamizar a procura”, lê-se na nota.