Internacional

OMS alerta que dexametasona só deve ser usado em casos graves

O diretor executivo do programa de emergências sanitárias da OMS, Michael Ryan, disse que a dexametasona não é "um tratamento ou profilaxia" para o novo coronavírus, salientando que só deve ser usado em doentes com casos graves de covid-19.

A Organização Mundial de Saúde alertou esta quarta-feira, dia 17 de junho, que a dexametasona não é "um tratamento ou profilaxia" para o novo coronavírus, salientando que o esteroide testado com sucesso no Reino Unido só deve ser usado em doentes com casos graves de covid-19.

"Este é um dos muitos avanços de que vamos precisar para combater a covid-19", afirmou o diretor executivo do programa de emergências sanitárias da organização, Michael Ryan, em conferência de imprensa virtual a partir da sede da OMS, em Genebra.

Questionado se o medicamento poderá ser usado em testes mais alargados em doentes com casos graves da doença provocada pelo novo coronavírus, Ryan respondeu que "ainda não é altura de alterar as práticas clínicas", frisando que é preciso treinar o pessoal médico na utilização do medicamento, que revelou efeitos positivos em doentes que tiveram que ser colocados a oxigénio ou com ventilação pulmonar.

O epidemiologista irlandês notou que a dexametasona intervém nas manifestações pulmonares da covid-19, ajudando doentes com dificuldades extremas em respirar, e que não é um medicamento antiviral.