Internacional

Polícia responsável pela morte de Rayshard Brooks vai ser julgado por homicídio

O homem de 27 anos tinha adormecido dentro de um carro num drive-in de um restaurante.

O agente da polícia de Atlanta que matou Rayshard Brooks, Garret Rolfe, na passada sexta-feira, vai ser acusado de homicídio, de acordo com o procurador distrital de Fulton County Paul Howar, citado pela  Associated Press (AP).O homem afro-americano foi atingido com "dois tiros nas costas" depois de ter resistido à detenção por parte das autoridades, de acordo com um relatório do médico legista que analisou o cadáver de Brooks.

O homem de 27 anos adormeceu dentro de um carro, num drive-in de um restaurante Wendy's, e estava a impedir a passagem de outros veículos. Quando a polícia chegou ao local, a conversa entre Rolfe e Brooks começou de forma pacífica e o detido mostrou-se calmo, como se pode ver no vídeo gravado pelas câmaras presentes num dos carros e fatos da polícia. Brooks chegou mesmo a admitir que tinha bebido e a aceitou realizar um teste de alcoolemia. No entanto, quando o polícia o tentou deter, este conseguiu libertar-se e os polícias acabaram por cair. 

Brooks tentou fugir pelo parque de estacionamento e roubou um taser a um dos agentes. Num vídeo divulgado pelo Departamento de Investigação da Geórgia pode ver-se o jovem durante a tentativa de fuga, a voltar-se para trás e a apontar a um agente que o perseguia. Rolfe, que levava outro taser numa mão, pegou na arma e disparou três vezes contra Brooks, que acabou por não resistir aos ferimentos e morreu.

O agente acabou por ser despedido no mesmo dia em que matou Brooks. A dirigente da polícia de Atlanta, Erika Shields, demitiu-se 24 horas depois do incidente.