Sociedade

Igreja "não vai pactuar" com abusos sexuais, garante D. José Ornelas

Novo presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. José Ornelas, opinou sobre eventuais crimes sexuais dentro da Igreja Católica.

O novo presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. José Ornelas, deixou bem claro a sua opinião em relação a eventuais casos de abusos sexuais na Igreja Católica. “A nossa posição de princípio é bem clara. É uma situação que com a qual não há possibilidade de pactuar”, garantiu, em entrevista à Lusa, explicando, no entanto, que não pode ser o próprio a garantir que os crimes sexuais vão acabar dentro da Igreja Católica.

Criação de cultura
Como forma de evitar eventuais abusos sexuais, o agora presidente da Conferência Episcopal, eleito na passada terça-feira, defendeu que o melhor seria “criar não só uma cultura que não tolera coisas destas” como também condições que dessem a possibilidade de evitar situações de crimes sexuais dentro da igreja.

Comportamentos intoleráveis
D. José Ornelas realçou a “transparência” da Igreja Católica no que toca aos seus ideais.“Temos orientações da Igreja muito claras nesse sentido. Temos procurado aplicá-las, no sentido de uma transparência que torne claro para todos que isto não são comportamentos toleráveis. E se acontecem temos de tirar as devidas consequências e não podem continuar”, disse.