Internacional

Suspeito de esfaqueamento era conhecido do MI5

Khairi Saadallah, de 25 anos, morador em Reading, terá morto pelo menos três pessoas, num crime que está a ser investigado como um incidente terrorista. 

Uma série de esfaquementos num parque público no centro de Reading, no Reino Unido, este sábado à noite, fez três mortos e pelo menos três feridos. O suspeito detido, Khairi Saadallah, de 25 anos, habitante local de origem líbia, já era conhecido pelo MI5, os serviços secretos domésticos britânicos: suspeitavam que queria viajar para o estrangeiro, com intenção de cometer atos terroristas, avançou a BBC. Até agora, tudo indica que se trata do típico caso de um “lobo solitário”, radicalizado na internet, que comete atentados sem apoio direto de outros indíviduos ou organizações.

“O parque estava bastante cheio, muitas pessoas estavam sentadas por ali, a beber com amigos, quando uma pessoa isolada avançou. Subitamente gritou algumas palavras incompreensíveis e foi em direção a um grupo grande de pessoas tentar esfaqueá-las”, contou uma testemunha, Laurence Wort, de 20 anos, citado pela Sky News. “Ele esfaqueou três deles e depois virou-se a começou a correr na minha direção, quando nos virámos e começámos a correr. Quando se aperceu que não nos conseguia apanhar ele tentou esfaquear outro grupo sentado”.

Depois do ataque, o homicída fugiu do parque, sendo detido por agentes “desarmados e incrivelmente corajosos”, descreveu um representante da polícia de Reading, Neil Basu - derrubaram o criminoso com uma “placagem”, acrescentou o Sunday Mirror. Enquanto isso, cidadãos tentavam dar primeiros-socorros aos feridos, antes da chegada das ambulância. 

“Notámos uma comoção do outro lado do parque”, contou Greg Wilton, que estava a fazer um piquenique com a mulher e três amigos, depois de participarem de um protesto do Black Lives Matter, uma horas antes. “Nós corremos para lá, e sem ver o atacante demos com três homens deitados no chão, sangrando profusamente da cabeça, pescoço ou corpo”, disse à BBC. “Outro membro do público tirou a camisola e tentou parar a hemorragia”.

Por agora, sabe-se que uma das vítimas mortais foi James Furlong, professor de história, governação e política na Holton School, em Wokingham. “Um homem bom e gentil”, “maravilhosamente talentoso e inspirador”, descreveu o diretor da escola. Entretanto, polícia armada conduziu buscas num edifício em Basingstoke Road, a 15 minutos de onde ocorreu o ataque.