Sociedade

Ensino Superior. Investigadores esperam há meses por concursos

Fenprof denuncia que “dos cerca de 1 700 investigadores que solicitaram ao PREVPAP a regularização dos seus vínculos precários, até recentemente, apenas cerca de 220 tinham obtido um parecer favorável”

A Fenprof denunciou ontem que 70% dos investigadores já homologados  para regularização no Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (Prevpap) aguardam, há mais de nove meses, “pelos concursos para ingressarem na carreira”.

“Dos cerca de 1 700 investigadores que solicitaram ao PREVPAP a regularização dos seus vínculos precários, até recentemente, apenas cerca de 220 tinham obtido um parecer favorável”, ou seja, 13%, referiu a estrutura sindical liderada por Mário Nogueira. Dos 220, a maioria continua sem resposta da tutela para ingressar na carreira 

A Fenprof refere ainda, em comunicado, que existem investigadores no desemprego pelo atraso na abertura dos concursos no âmbito do Prevpap. “Este não cumprimento da lei tem forçado vários colegas ao desemprego, quando já têm o parecer favorável aprovado há mais de 9 meses”, lê-se no comunicado.