Sociedade

Marcelo faz balanço da situação no país após reunião no Infarmed

Presidente adianta que a evolução da covid-19, parece atingir  mais “a população que trabalhou sempre e não confinou muito".

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou que o RT, a nível nacional situa-se no 1.08.

O chefe de Estado fez um balanço sobre a situação da crise sanitária, após a nona reunião com especialistas.

Marcelo Rebelo de Sousa fez assim o ponto de situação sobre as várias fases de desconfinamento, por comparação com outros países: verificou-se que lá fora o RT, indicador da taxa de contágio da covid-19, supera 1 ou ronda esse valor.

Além disso, Portugal está “no grupo dos que mais testam”. No caso da zona de Lisboa, Marcelo constatou que a evolução da covid-19,  parece atingir  mais “a população que trabalhou sempre e não confinou muito". Mas há uma grande dúvida: “A dúvida que permanece é se já antes de ser testada havia a realidade de contaminação ou se é posterior”.

O Presidente fala agora em francês a uma jornalista francesa sobre o turismo.

E recorda, em francês, que Portugal é o número cinco na capacidade de testagem.

O chefe de Estado recusou para já a ideia de descontrolo: “primeiro, o caminho para medidas específicas é o maior conhecimento do terreno e da realidade. Segundo, em momento algum se encontrou a ideia de descontrolo da pandemia, quer na evolução do número de mortos, quer na pressão sobre o SNS”.

Em todo o caso, o chefe de Estado preconizou “medidas específicas” é uma atuação rápida na zona de Lisboa.

Marcelo lançou ainda um apelo para que a “máscara seja mais utilizada”.

O Chefe de Estado insiste que não há descontrolo na zona de Lisboa e Vale Do Tejo. E lembrou :”Tem havido uma estabilização de infetados e um aumento de testes”.

A região Norte está com um RT superior a Lisboa e Vale do Tejo, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.  Para o Presidente, o que importa apurar em relação a Lisboa e Vale do Tejo é o de saber se o fenómeno de aumento de casos já vem de trás, ou não.