Internacional

Pandemia está a crescer a um "nível alarmante", afirma OMS

O líder da organização sublinhou que "demorou três semanas, no princípio da pandemia, a atingir o primeiro milhão de infetados, mas agora houve mais um milhão de infetados em apenas uma semana".

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, afirmou, esta quarta-feira, que a pandemia provocada pelo aparecimento do novo coronavírus está a crescer "a um ritmo alarmante", o que obriga a uma necessidade de apostar em mais infraestruturas de combate à covid-19, especialmente na produção e distribuição de uma vacina contra o novo vírus, responsável pela morte de mais de 427 mil pessoas. 

As declarações de Tedros Ghebreyesus foram feitas num seminário organizado pela União Africana e pela OMS sobre a importância de uma vacina em África. O líder da organização sublinhou que "demorou três semanas, no princípio da pandemia, a atingir o primeiro milhão de infetados, mas agora houve mais um milhão de infetados em apenas uma semana".

Ghebreyesus defendeu que "o mundo precisa de uma colaboração global sem precedentes, uma ação hoje quer dizer mais vidas salvas e a economia a recuperar mais rapidamente". Sublinhou que estão em desenvolvimento vários estudos de vacina para eliminar a covid-19 (atualmente há 220), e, apesar de ser ser "certo que a maioria vai falhar", as que apresentem maior taxa de sucesso terão todo o apoio da organização na produção e distribuição. 

"A necessidade vai superar a capacidade de produção e tem de estar acima da capacidade de pagar; tem de haver princípios de alocação justos, com solidariedade global, empenho e participação de todos os países, numa altura em que os interesses nacionais vão ter de se curvar perante a necessidade global", alertou.

O líder da OMS falou ainda sobre as prioridades na distribução da vacina e salienta que "quem mais necessita e os profissionais de saúde" serão os primeiros a ter acesso à mesma.