Sociedade

Destemidas: A série que fala sobre aborto, homossexualidade e feminismo que está a gerar polémica com a RTP2

Série tem sido transmitida no espaço Zig Zag, da RTP2. ERC já recebeu várias queixas.

A transmissão de um episódio da série infantil ‘Destemidas’, emitido no espaço Zig Zag, da RTP2, levou a várias queixas na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), avança o Correio da Manhã. Em causa está o facto de o episódio abordar temas como o aborto, homossexualidade, feminismo, divórcio e religião.

O episódio em questão, transmitido na estação pública, conta a história da já falecida femininista francesa Thérèse Clerc. Defensora do aborto, a ativista foi galardoada com a Legião de Honra em 2008 – uma condecoração honorífica francesa.

A ERC confirmou ao Correio da Manhã que recebeu queixas sobre a série e adiantou que as participações se “encontram em apreciação pelos serviços da Entidade". Segundo o mesmo jornal, também o provedor da estação recebeu várias denuncias. O Correio da Manhã tentou contactar Teresa Paixão, diretora de Programas da RTP 2, mas não obteve resposta.

“Programa infantil da RTP2 promove aborto, divórcio e homossexualidade. Segundo a Rádio Televisão Portuguesa (RTP), ‘o Zig Zag é o espaço infantil da RTP dedicado a crianças entre os 18 meses e os 14 anos’. Neste programa, que mostramos, é escandalosa a defesa e promoção do aborto, conseguido como uma vitória, e não uma derrota, para a sociedade, como se a morte de um bebé inocente pudesse ser uma coisa boa. Faz-se, também, o elogio a uma mulher, com 4 filhos, que sai de casa para ir viver com outra mulher. O ódio ao Catolicismo percorre o vídeo inteiro",lê-se numa publicação partilhada nas redes sociais esta quarta-feira e que pede aos utilizadores para denunciarem a série.

"A RTP é financiada com o dinheiro de todos os portugueses. Além disso, este programa é patrocinado pela CNC: Creative Europe - Programa de Média da União Europeia. Ficamos assim a saber que esta doutrinação dirigida às crianças é promovida por fundos da União Europeia”, acrescenta.

“Ao cuidado dos promotores da série ‘Destemidas’, do programa Zig-Zag, difundido pela RTP2, deixo algumas sugestões de mulheres que marcaram a diferença. Sem necessidade de fazerem a apologia de Marx, o incentivo ao aborto ou a exaltação da transexualidade”, lê-se noutro o comentário onde são destacados nomes como Grace ou Letitia Geer.

Já em março, a Associação Família Conservadora tinha partilhado no Facebook uma publicação onde adiantava que tinha apresentado queixa contra um episódio da série e revelava a resposta do Provedor da RTP.

“RESPOSTA DO PROVEDOR DA RTP relativamente à queixa acerca do conteúdo ideológico do desenho animado ‘Destemidas’, que passou na RTP2 no domingo, por volta da hora do almoço, especialmente dirigido a crianças e adolescentes: ‘Respondo-lhe como respondi a mensagem idêntica que recebi: A intenção do programa era a de tornar tranquila essa relação com o facto de muitos adolescentes se interrogarem sobre a sua identidade de género. Temo que, como diz, não se tenha munido do melhor percurso para lá chegar(…) m/ cumprimentos, Jorge Wemans, Provedor do telespetador’ OU SEJA: O provedor reconhece que o programa esteve mal, muito mal, certo?  Então, porque é que permitiu que fosse para o ar se não era o melhor recurso para o objetivo?(…) Isto é puro lixo ideológico e só serve os interesses dos que querem subverter a identidade e a sexualidade das crianças”, lê-se.

A série ‘Destemidas’, adaptada da série literária ‘Culottées’ (Atrevidas) de Pénélope Bagieu, é uma série da France Télévision, apoiada pelo Programa de Media da União Europeia. O formato retrata as histórias de "mulheres corajosas, que mudaram o rumo da história”.