Internacional

Jovem acusada de matar o seu agressor sexual sai em liberdade depois de dois anos na prisão

Chrystul tinha 17 anos quando matou Randall Volar , de 34 anos.

Chrystul Kizer, uma jovem que estava presa por matar o homem que abusou sexualmente dela em 2018, no estado norte-americano de Wisconsin, foi libertada, esta segunda-feira, depois de passar dois anos atrás das grades.

De acordo com o New York Times, várias pessoas juntaram-se e angariaram 400 mil dólares, mais de 356 mil euros, para pagar a fiança da jovem. Chrystul tinha 17 anos quando matou Randall Volar III, de 34 anos, num ato considerado por muitos como autodefesa.

A jovem, agora com 19 anos, disse que o homem foi a primeira pessoa a responder a um anúncio que tinha colocado no site Backpage – uma plataforma de publicidade sexual que acabou por ser encerrada por facilitar o tráfico sexual ou a prostituição de menores. Na altura, Chrystul disse que colocou o anúncio para comprar material escolar e comida.

Os procuradores acabaram por admitir que o homem estava a abusar sexualmente de Chrystul e de outras menores de 12 anos. Em 2018 já tinha sido detido por vários crimes sexuais envolvendo crianças, mas foi libertado.

A jovem acabou por se tornar numa das suas vítimas. Na noite em que foi assassinado, Volar pagou um Uber para levar Chrystul até sua casa, onde esta passou algumas horas antes de disparar um tiro sobre ele. A jovem incendiou a casa e fugiu no carro do agressor.

Inicialmente a fiança da jovem estava fixada em 1 milhão de dólares, mas um juiz acabou por reduzi-la para os 400 dólares em fevereiro deste ano.

Está agora a ser estudada a possibilidade de a defesa da jovem poder usar a tese de tráfico sexual no julgamento.