Economia

TAP prolonga layoff até ao fim de julho

Comunicado publicado no site da CMVM apresenta como justificação a evolução das restrições impostas pelos governos à mobilidade e a baixa procura de voos, que se mantém para o próximo mês.

O Conselho de Administração da TAP comunicou à CMVM que decidiu prorrogar a aplicação das medidas excecionais de layoff por um período suplementar de 30 dias, até 31 de julho.

“Esta decisão foi tomada no contexto de suspensão quase total das operações da TAP e da manutenção das condições que inicialmente motivaram o recurso ao programa disponibilizado pelo Governo português de apoio à recuperação socioeconómica do país e das empresas”, lê-se no comunicado disponível na página da CMVM.

Segundo o comunicado, a decisão da TAP prende-se tanto com “a evolução das restrições à mobilidade das pessoas, a cada momento definidas pelas autoridades governamentais dos países onde a TAP opera” como com os sinais de procura, que “para o mês de julho permanece reduzida, pelo que se verifica que as condições que motivaram a adesão e a subsequente prorrogação das medidas excecionais e temporárias não se alteraram significativamente”. 

Estas medidas, acrescenta o comunicado, somam-se às já anunciadas iniciativas de controlo e de redução de custos, que incluem “a suspensão ou adiamento de investimentos não críticos, renegociação de contratos e prazos de pagamento, corte de despesas acessórias, suspensão de contratações de novos trabalhadores e de progressões e a implementação de programas de licenças sem vencimento temporárias, as quais continuam a ser implementadas”.