Sociedade

Operação Sem Rosto. Seis suspeitos dos No Name Boys ficaram em prisão preventiva

Sete elementos da claque não oficial do Benfica foram detidos esta quinta-feira.

Seis dos sete elementos dos No Name Boys, detidos esta quinta-feira, ficaram em prisão preventiva no âmbito da Operação Sem Rosto, avançou a TVI, esta sexta-feira, depois de terem sido presentes a tribunal. Os detidos relacionados com a investigação têm idades compreendidas entre os 22 e os 33 anos e foram presentes ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, onde lhes foi aplicada a medida de coação mais gravosa: a prisão preventiva.

De acordo com uma fonte oficial da PSP, a investigação aos membros da claque não oficial do Benfica estava a decorrer há quase um ano devido a vários crimes como "um crime de homicídio na forma tentada, três crimes de roubo, vários crimes de ofensa qualificada, quer contra agentes da autoridade quer contra outras pessoas, e situações de dano e de furto", detalhou o comissário Bruno Pereira, durante uma conferência de imprensa. 

"Estamos a falar de inúmeras situações que foram investigadas desde maio do ano passado e até maio do presente ano. Estamos a falar de situações particulares que se deram na via pública, com agressões múltiplas em que as vítimas ficaram num estado fisico muito debilitado, chegando a correr perigo de vida", especificou o comissário.

Dos detidos, seis foram detidos por factos diretamente ligados à investigação, enquanto outro foi detida de forma "colateral" à investigação por ter em sua posse uma arma e estupefacientes, na noite de quinta-feira.