Politica

Centenas participaram em manifestação do Chega e Ventura agradeceu: “Obrigado por não me terem deixado caminhar sozinho"

André Ventura discursou no final da manifestação e criticou a "direita tradicional que tem medo de sair à rua".

Patrícia de Melo Moreira/AFP
Patrícia de Melo Moreira/AFP
Patrícia de Melo Moreira/AFP
Patrícia de Melo Moreira/AFP

Centenas de pessoas juntaram-se, este sábado, a André Ventura, líder do Chega, numa manifestação promovida pelo partido para mostrar que “Portugal não é racista” e apoiar as forças de segurança. A iniciativa, onde também marcou presença a atriz Maria Vieira, começou no Marquês de Pombal, em Lisboa, e terminou no Terreiro do Paço.

André Ventura discursou no final da manifestação e criticou a "direita tradicional que tem medo de sair à rua" e citou várias vezes Sá Carneiro.

"O tempo do domínio da esquerda em Portugal, se não acabou, está a acabar. Por muitas ameaças que me façam, este movimento nacional já não vai parar, nem se vai vergar", declarou o deputado único do Chega.

"Por muitos que nos queiram diminuir ou humilhar, nunca caminharemos sozinhos (…) Rui Rio e Francisco Rodrigues dos Santos demarcaram-se desta manifestação, mas os portugueses vão demarcar-se deles. Há sondagens que dizem que vamos ser o terceiro partido", destacou.

"Para essa direita que recusa sair à rua, que tem medo do confronto, digo, esse tempo acabou. Agora é tempo de lutar por este país, que está vergado e humilhado", disse. "Nós, Chega, não somos como o Bloco de Esquerda. Felizmente, esses estão a desaparecer e não vale a pena falar muito neles", acrescentou.

Já nas redes sociais, Ventura agradeceu a quem participou na manifestação.

“Obrigado por não me terem deixado caminhar sozinho. O dia de hoje já é parte da História”, escreveu no Twitter.

Veja a fotogaleria.