Sociedade

Rio quer acabar com os debates quinzenais

Em alternativa, Rio propõe debates do estado da nação setoriais, além do previsto em julho, em que o chefe do Governo pode participar também. O PSD propôs ainda dois plenários por semana e o reforço do trabalho das comissões

O presidente do PSD, Rui Rio, apresentou ontem um pacote de medidas para alterar o funcionamento da Assembleia da República – e “enobrecer” a “Casa da Democracia” – que prevê o fim dos debates quinzenais com o primeiro-ministro, impondo como obrigatória, em alternativa, a sua presença no plenário oito vezes por cada sessão legislativa, ou seja, nos meses de setembro, janeiro, março e maio, nos dois conselhos europeus ordinários e no Orçamento do Estado.

Em alternativa, Rio propõe debates do estado da nação setoriais, além do previsto em julho, em que o chefe do Governo pode participar também. O PSD propôs ainda dois plenários por semana e o reforço do trabalho das comissões.

O PSD quer igualmente alterar a Comissão de Transparência, que avalia as incompatibilidades dos deputados, para evitar que sejam juízes em causa própria. E quer um conselho de transparência composto maioritariamente por quem não seja deputado nem o tenha sido na anterior legislatura. Segundo esta proposta, os inquéritos parlamentares devem ser também abertos a personalidades das respetivas áreas.