Politica

“Um reencontro de irmãos”. É assim que Costa vê a reabertura de fronteiras com Espanha

Para o chefe do Governo português, "Espanha e Portugal devem ser atores de primeira linha na construção de uma Europa cujo modelo económico e social reforce a convergência e que, mais do que esperanças, dê certezas a todos".

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou, esta quarta-feira, que a reabertura da fronteira entre Portugal e Espanha é um reencontro entre vizinhos "irmãos e amigos" que terão mais peso se estiverem lado a lado na União Europeia.

"Hoje assinalamos ao mais alto nível a normalização do trânsito terrestre da fronteira entre Portugal e Espanha. É um reencontro entre vizinhos que são irmãos e amigos. Desta fronteira aberta depende a nossa prosperidade partilhada e um destino comum no projeto europeu", escreveu o primeiro-ministro na sua conta do twitter.

A publicação de António Costa é feita no dia das cerimónias oficiais em Badajoz e em Elvas que assinalam a reabertura da fronteira com Espanha, juntamente com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com o rei Felipe VI e com o chefe do Governo espanhol, Pedro Sánchez.

O primeiro-ministro sublinhou ainda que "é essencial para ambos os países que os contactos voltem gradualmente a adquirir a dimensão e a dinâmica anteriores”.

"A pandemia ofereceu-nos a visão de um passado ao qual não queremos voltar: um continente de fronteiras encerradas. A liberdade de circulação consolidou-se no espírito dos cidadãos europeus como um dos princípios fundamentais da ideia de Europa", acrescentou.

Para o chefe do Governo português, "Espanha e Portugal devem ser atores de primeira linha na construção de uma Europa cujo modelo económico e social reforce a convergência e que, mais do que esperanças, dê certezas a todos".

As fronteiras terrestres entre Portugal e Espanha reabrem hoje depois de terem estado encerradas desde 16 de março.