Politica

CDS responsabiliza Executivo por exclusão da lista do Reino Unido

"Creio que o Governo falhou na comunicação sobre a situação epidemiológica em Portugal, porque o país não é Lisboa e o resto é paisagem. Há mais Portugal para além da capital", afirmou Francisco Rodrigues dos Santos.

O líder do CDS responsabilizou, esta segunda-feira, o Governo pela decisão que o Reino Unido tomou quando exluiu Portugal da lista de países considerados seguros em relação à pandemia de covid-19.

"Creio que o Governo falhou na comunicação sobre a situação epidemiológica em Portugal, porque o país não é Lisboa e o resto é paisagem. Há mais Portugal para além da capital", afirmou Francisco Rodrigues dos Santos, explicando que existiu uma "narrativa centralista" por parte do Governo que fez com que a situação em Lisboa e Vale do Tejo afetasse a imagem de todo o país.

O líder centrista considerou que "está o justo a pagar pelo pecador", já que a situação está, a seu ver, "estabilizada na generalidade do território".

Em Braga, Rodrigues dos Santos propôs que fosse feita uma campanha que demonstrasse que "Portugal não é só LIsboa" e que, por isso, há zonas seguras para os Turistas.

"Não vamos tomar o todo por algumas partes onde o processo não está a correr bem", apelou, sublinhando que são os que cumprem que acabam por pagar a fatura do incumprimento dos outros.

Portugal não foi um dos 59 países considerados seguros pelo Governo de Boris Johnson, significando isto que os passageiros provenientes de Portugal terão que cumprir 14 dias de quarentena obrigatória à chegada do Reino Unido,  país que registou, esta segunda-feira, 352 novos casos e 16 mortes.