Sociedade

José Sócrates já reagiu à morte de João Araújo

"João Araújo foi nos últimos anos um amigo e um companheiro leal que não esquecerei”, afirmou Sócrates.

O antigo primeiro-ministro José Sócrates lamentou a morte do "amigo" e "advogado corajoso" João Araújo.

Em declarações à agência Lusa, José Sócrates afirmou estar “profundamente entristecido".

"João Araújo foi nos últimos anos um amigo e um companheiro leal que não esquecerei. Ela era um advogado corajoso e com uma profunda dedicação ao Estado de Direito Democrático", afirmou e acrescentou: "A sua morte deixa-me profundamente entristecido".

O advogado João Araújo, um dos advogados de defesa do antigo primeiro-ministro no processo Operação Marquês, morreu na última noite, em Lisboa, vítima de cancro, avançou esta manhã desta quarta-feira a Rádio Renascença, citando fonte familiar.

A última vez que foi visto em tribunal foi, em março, durante o debate instrutório do processo no Tribunal Central de Instrução Criminal onde ficou evidente que o seu estado de saúde estaria mais debilitado.

Em 2018 chegou a admitir deixar a defesa de José Sócrates por divergências quanto à estratégia a seguir. João Araújo, a par de Pedro Delille, representou o antigo primeiro-ministro durante cerca de cinco anos.

A funerária Servilusa adiantou, à agência Lusa, que o velório de João Araújo realiza-se hoje, a partir das 17h30, na Basílica da Estrela, em Lisboa.

Na quinta-feira, haverá uma missa pelas 12h30, estando a cremação prevista para as 14h00 no Cemitério do Alto São João, Lisboa.