Sociedade

Detetado foco de covid-19 no Hospital de São José

Doentes foram retirados "das áreas consideradas afetadas", explicou Graça Freitas, durante a conferência de imprensa desta quarta-feira.


Graça Freitas confirmou, esta terça-feira, que foi detetado um fico de covid-19 no Hospital de São José, em Lisboa. A diretora-geral da Saúde falava na conferência de imprensa, mas não detalhou o número de casos.

"Neste momento, ainda é precoce detalhar o número de casos", referiu, explicando que estão a aguardar os resultados dos testes à covid-19. Graça Freitas garantiu ainda que os doentes foram retirados "das áreas consideradas afetadas" e que os serviços em questão estão a ser reorganizados.

Sobre o acesso aos medicamentos, o presidente da Autoridade Nacional do Medicamento e dos Produtos de Saúde (Infarmed), que também esteve presente na conferência de imprensa desta quarta-feira, disse que "têm sido desenvolvidas iniciativas pelos hospitais para que possam chegar aos doentes de forma mais cómoda". "Temos vindo a trabalhar em conjunto com os parceiros do setor no sentido de analisar o desenvolvimento deste tipo de iniciativas", afirmou Rui Santos Ivo, acrescentando que houve necessidade de definir algumas orientações de forma a haver um reforço no acesso ao medicamento. "No período de abril e maio, em 150 mil doentes, houve mais de 30 mil que tiveram acesso ao medicamento ou no domicílio ou no local de sua eleição", explicou.

Já quanto à notícia de que algumas doentes, nomeadamente com artrite reumatoide, estarão com dificuldades em levantar medicamentos, a secretária de Estado da Saúde anunciou que um desmentido sobre a situação já foi emitido pelo centro hospitalar Lisboa Norte. "Está tudo a funcionar na normalidade e todos os canais estão a ser estabelecidos", garantiu Jamila Madeira.

Em relação à hipótese de a covid-19 se transmitir pelo ar, Graça Freitas sublinhou que a Organização Mundial de Saúde (OMS) "não rejeita essa hipótese", lembrando que é preciso que se conheça "a dimensão dessa transmissão".

Ainda acerca do fim das reuniões entre governantes e especialistas no Infarmed, anunciado esta quarta-feira por Marcelo Rebelo de Sousa, Jamila Madeira garantiu que o ministério da Saúde iria continuar a ouvir "os cientistas diariamente e a promoção de novos estudos". "O formato mais local que será adotado ainda não consigo clarificar", acrescentou.

Ainda quanto às celebrações de uma eventual comemoração na próxima quinta-feira, se o FC Porto se sagrar campeão, Graça Freitas disse que as recomendações são " exatamente as mesmas quanto a qualquer outra efeméride", ou seja, é aconselhada a utilização de máscaras e o distanciamento social.

Segundo o boletim da situação epidemiológica em Portugal, revelado esta quarta-feira pela DGS, já morreram 1.631 pessoas infetadas com o novo coronavírus, desde o início do surto no país, mais dois óbitos face ao boletim de ontem.

Nas últimas 24 horas foram ainda confirmados mais 443 novos casos, dos quais 327 na região de Lisboa e Vale do Tejo, elevando o total de diagnósticos positivos para 44.859, um aumento significativo, o maior em dez dias, pois entre segunda e terça-feira tinha sido confirmados 287 casos de contágio.