Sociedade

Bélgica retira cidade de Lisboa do ‘vermelho’ e Portugal passa a ter ‘sinal verde’ em quase todo o território

Viagem à capital já não obriga a quarentena. Mas há exceções.

As autoridades belgas tinham incluído toda a região da Grande Lisboa na lista das zonas vermelhas, o que obrigava uma quarentena obrigatória para os viajantes que chegassem à Bélgica vindos da capital portuguesa, o resto do país estava a laranja. Mas esta sexta-feira, a classificação foi alterada.

Portugal e Espanha passaram a ser considerados zonas verdes, com exceção das regiões com medidas especiais, que estão situadas na zona vermelha, como acontece nas 19 freguesias da região de Lisboa e Vale do Tejo que continuam em estado de calamidade: Queluz e Belas, Massamá e Monte Abraão, Agualva e Mira-Sintra, Algueirão – Mem Martins, Cacém e São Marcos e Rio de Mouro (Sintra), Camarate, Unhos e Apelação e Sacavém e Prior Velho (Loures), Santa Clara (Lisboa) e os concelhos da Amadora e Odivelas na íntegra.

O anúncio foi feito, esta sexta-feira, pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros belga, que já publicou a atualização a lista de zonas banidas.