O Mundo em Calções

De volta aos alegres dias do país triste

As pessoas em festa nas ruas, as bandeiras nas janelas, e nós no meio, irmãos até hoje, irmãos para sempre.

Havia em Lisboa cinemas com vidas inteiras lá dentro. O meu preferido era o Paris, ali à Domingos Sequeira. Foi no Cinema Paris que, numa tarde de sábado, a Julie Christie, a fazer de Lara, no Doutor Jivago, abriu de tal forma os olhos azuis de espanto que eu senti que ficava igualmente todo azul por dentro, de um azul que nunca mais sai, tingindo-me a alma e o desejo de um tom tão profundo que nenhuma lixívia seria capaz de tirar. Vi no Paris filmes com vidas inteiras lá dentro. Foi no Paris que conheci Butch Cassidy and The Sundance Kid. Em português chamaram-lhe Dois Homens e Um Destino. Foi numa das cadeiras do Cinema Paris que fiquei apaixonado pela Etta Place, cheio de ciúmes do Robert Redford quando ele espreita a sua nudez pela janela e ela responde, simplesmente: «You’re late…». Depois saí para a rua e estava sol e chuva ao mesmo tempo e eu só queria correr para o Jardim da Estrela para passear uma rapariga no quadro da bicicleta assobiando ao mesmo tempo o Raindrops Fallin’ on My Head… Na adolescência do meu tempo, não deve ter existido ninguém que não soubesse assobiar o Raindrops Fallin’ on My Head e que não quisesse fazer parte do Wild Bunch.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do SOL. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.