Economia

Grupo DIA aumentou vendas em 6,3% para mais de 1800 milhões no segundo trimestre

Em Portugal, o grupo que detém as marcas Minipreço e Clarel aumentou as vendas líquidas em 8,3% para os 160,3 milhões de euros.

O Grupo DIA – que em Portugal detém as marcas Minipreço, Clarel e Mais Perto – aumentou as suas vendas líquidas em 6,3% para os 1819 milhões de euros, no segundo trimestre do ano. Os resultados da empresa internacional de distribuição do setor de alimentação que opera em Espanha, Portugal, Brasil e Argentina destacaram-se, sobretudo, nos países da Península Ibérica.

Em Portugal, as vendas líquidas cresceram 8,3% para os 160,3 milhões de euros, neste período, em comparação com o valor de 148 milhões registados no segundo trimestre de 2019. Os resultados de Like-for-Like foram igualmente positivos, face ao período homólogo (+9,2%), e são justificados pela empresa com “as medidas de transformação locais implementadas, entre as quais se incluem o aumento da frequência de entrega de mercadoria com o objetivo de melhorar a oferta de frescos e os esforços continuados na renovação de lojas”.

Recorde-se que a DIA Portugal anunciou, no final de março, que iria oferecer 250 euros a todos os colaboradores das suas lojas, franquias, armazéns e equipas de apoio, como forma "de reconhecimento pela sua dedicação e esforço durante a crise do coronavírus". A empresa investiu neste incentivo um total de cerca de 1,3 milhões de euros.

Em comunicado, Stephan DuCharme, presidente executivo do Grupo DIA, afirmou que os resultados correspondentes ao segundo trimestre de 2020 “refletem os progressos levados a cabo no último ano, com um incremento nas vendas líquidas apesar de contarmos com um menor número de lojas, assim como vendas comparáveis (Like-for-Like) positivas em todos os países pela primeira vez desde o último trimestre de 2016”. “Os elementos chave destes resultados derivam das iniciativas de transformação levadas a cabo, como a melhoria das operações na cadeia de abastecimento e lojas que facilitou a melhoria da oferta de frescos, enquanto a expansão das vendas online alcançou o dobro do número de vendas registados no primeirto trimestre”, lês- na nota.

O responsável acrescenta que “a combinação da melhoria destes aspetos, juntamente com o atrativo da nossa oferta de proximidade, fez com que a DIA seja e se tenha mantido como um fornecedor de confiança à medida que as restrições de confinamento se suavizam nos mercados em que o grupo tem operações”. Com níveis de 10% de Like-for-Like a nível de Grupo durante o mês de junho depois de meses marcados por níveis excecionais alcançados durante o confinamento, esperamos desde a DIA que a implementação das principais iniciativas de transformação, incluindo a otimização do sortido, tenha um impacto positivo que será refletido no futuro”, conclui.

Apesar dos bons resultados em Portugal, foi novamente em Espanha que o grupo mais faturou, com um aumento de 15,9% das vendas líquidas para os 1204 milhões de euros, em comparação com as contas do mesmo período no ano passado. No Brasil e na Argentina os resultados recuaram, com vendas líquidas de 232 milhões (-10,3%) e 222,5 milhões (-16,4%), respetivamente, face ao período homólogo.