Politica

André Ventura notificado para testemunhar sobre saudação nazi em comício do Chega

Na altura, um vídeo do comício foi partilhado nas redes sociais, onde se pode ver um homem na plateia, junto ao palco onde se encontra André Ventura, com o braço direito esticado e a mão direita estendida, enquanto se canta o hino nacional. 

André Ventura foi notificado para testemunhar no inquérito que o Ministério Público abriu sobre a saudação nazi feita por homem num comício do Chega, no final de janeiro, de acordo com declarações do próprio deputado à Lusa. "Sou testemunha num inquérito do Ministério Público (MP) sobre uma saudação nazi num comício do Chega, no Porto", afirmou. 

Na carta enviada ao deputado, e à qual a Lusa teve acesso, André Ventura foi "notificado, na qualidade de testemunha", num inquérito que o Ministério Público abriu e deve responder a várias questões como se "pode concretizar que gesto foi efetuado, de acordo com o que presenciou" e se na altura foi entendido pelos presentes como uma saudação nazi. Ventura deve ainda indicar se conhece o homem que fez o gesto e se "pode indicar a sua identidade". O MP exige ainda uma cópia da inscrição no comício "da pessoa que efetuou a indicada saudação".

O deputado é ainda questionado se tinha conhecimento prévio de que este gesto iria ser feito e o MP pede ainda a Ventura que identifique outras pessoas que estiveram presentes, entre as quais dois homens que aparecem numa fotografia ao seu lado, querendo saber se algum deles foi o autor da saudação.

Ventura afirma não ter conhecimento da identidade do homem que fez a saudação nazi no comício do Chega e que não conhece os homens das fotografias.  "Eu não sabia que ia ser feita uma saudação nazi e na altura não me apercebi do que estava em causa", afirma. O deputado do Chega garante ainda que irá colaborar totalmente com a investigação e que irá pedir à organização do comício "que tentem identificar a pessoa em causa". No entanto, apesar de estar de acordo com a investigação, Ventura sublinha que espera que o MP "não perca muito tempo com isto".

Recorde-se que, na altura, um vídeo do comício foi partilhado nas redes sociais, onde se pode ver um homem na plateia, junto ao palco onde se encontra André Ventura, com o braço direito esticado e a mão direita estendida, enquanto se canta o hino nacional. Estas imagens geraram bastante contorvérsia. O deputado único do Chega foi acusado de racismo e de ser apoiante de Adolf Hitler por vários internautas.