À Esquerda e à Direita

O aprendiz de animal feroz e um Rio que só mete água

Triste país que tem em Rio a alternativa a António Costa. O homem não perde os seus tiques autoritários, e por vezes não se percebe se estamos a ver o líder do principal partido da oposição ou se estamos a lidar com um presidente de uma junta de freguesia venezuelana. A sua ideia de acabar com os debates quinzenais na AR foi acolhida de braços abertos por António Costa, que deve rezar todas as noites vários Padres Nossos para que Deus lhe mantenha Rui Rio como líder do PSD.

A realidade portuguesa cada vez mais se parece com um multiplex, onde há filmes para todos os gostos. Comecemos pela tragicomédia, que tem em João Galamba um dos seus atores principais. O secretário de Estado Adjunto e da Energia foi uma vez mais à televisão dar um espetáculo deprimente. 

Com o seu ar de aprendiz de animal feroz, Galamba tentou atacar o jornalista da SIC, Rodrigo Pratas, que lhe estava a fazer a entrevista, como se de um combate de pugilismo se tratasse. Ao governante só lhe interessava atacar José Gomes Ferreira, que um dia antes tinha escrito um texto demolidor para os investimentos anunciados no hidrogénio, e, por arrastamento Pratas, que nunca perdeu a compostura e se manteve seguro até ao fim. Mais do que palavras é melhor ir ver o vídeo.

Continuando na tragicomédia, o que dizer de Rui Rio? Rimos ou choramos? Triste país que tem em Rio a alternativa a António Costa. O homem não perde os seus tiques autoritários, e por vezes não se percebe se estamos a ver o líder do principal partido da oposição ou se estamos a lidar com um presidente de uma junta de freguesia venezuelana. A sua ideia de acabar com os debates quinzenais na AR foi acolhida de braços abertos por António Costa, que deve rezar todas as noites vários Padres Nossos para que Deus lhe mantenha Rui Rio como líder do PSD.

Nesta história, há que dar os parabéns aos deputados do PSD que votaram contra a proposta: Aqui ficam os nomes: Pedro Pinto, Margarida Balseiro Lopes, Emídio Guerreira, Pedro Rodrigues, Alexandre Poço, Álvaro Almeida e Rui Silva - estes nomes devem ter hipotecado o seu futuro político enquanto Rio estiver à frente do partido. Rui Rio não se esquece de quem lhe faz frente.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do SOL. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.