Sociedade

Bruno Candé. SOS Racismo não tem dúvidas de que “se trata de um crime com motivações de ódio racial”.

BE exige que motivações do crime sejam apuradas.

O Bloco de Esquerda exige que todos “os pormenores e motivações do assassínio de Bruno Candé” sejam “devidamente apurados”. A concelhia do Bloco de Esquerda de Loures, numa nota divulgada nas redes sociais, defende que “o assassinato de Bruno Candé Marques choca-nos profundamente e obriga-nos a todos, enquanto sociedade, a refletir sobre como foi possível acontecer em plena luz do dia no centro de Moscavide”.

Rita Lage, deputada municipal de Loures do Bloco de Esquerda, defendeu, em declarações à TSF, que ”continuar a olhar para o lado e fingir que o racismo não existe é ingénuo e perigoso”.

O ator Bruno Candé Marques, da companhia de teatro Casa Conveniente, foi baleado este sábado em Moscavide, no concelho de Loures. A associação SOS Racismo defende que “o caráter premeditado do assassinato não deixa margem para dúvidas de que se trata de um crime com motivações de ódio racial”.

Um comunicado do SOS Racismo refere que “Bruno Candé Marques, cidadão português negro, foi assassinado com quatro tiros à queima roupa. O seu assassino já o havia ameaçado de morte três dias antes e reiteradamente proferiu insultos racistas contra a vítima”. A associação apela a que “o assassinato do Bruno Candé Marques não seja mais um sem consequências, exigimos que justiça seja feita”.

O ministro da Administração Interna explicou, ontem, que a PSP “deteve, de imediato, o alegado responsável” pelo crime de homicídio. “As autoridades judiciárias tomarão as suas decisões relativamente a um crime que vivamente repudiamos”, acrescentou Eduardo Cabrita.

Já a deputada Joacine Katar Moreira também exigiu que seja feita justiça. “Para não esquecermos, assim como não esquecemos Alcindo Monteiro. Hoje, 25 de Julho, dia internacional das mulheres negras, perde-se um filho nas malhas do racismo que é todos os dias alimentado por muita gente. Não à custa do sangue da juventude negra. Não à custa das nossas vidas. Racismo é crime e a justiça será feita!”, escreveu, na sua página do Facebook, a deputada não inscrita.

Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP disse à Lusa que o homem responsável pelos disparos, com “cerca de 80 anos”, foi detido.