Economia

TAP. Sindicatos reúnem com Governo e voltam a exigir retoma da operação

Na reunião com Pedro Nuno SantosAs organizações representativas dos trabalhadores adiantam ainda que “da parte destes sindicatos, tudo faremos para defender os postos de trabalho e os acordos de empresa”.

Os sindicatos mais representativos da TAP reuniram-se na última sexta-feira com o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, num encontro que teve como objetivo “refletir sobre a situação da empresa e restantes empresas do grupo”.

Em comunicado conjunto, o Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA), Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (SITEMA) e Sindicato Nacional dos Engenheiros (SNEET) referem que, durante uma longa conversa, tiveram a oportunidade de voltar a sublinhar que, neste momento, “é absolutamente necessário que a empresa comece a voar e a ocupar o seu espaço no mercado”, uma vez que consideram que a retoma da operação da companhia aérea “está já muito atrasada”.

As estruturas sindicais indicam que voltaram a mostrar preocupações em relação ao futuro, nomeadamente quanto à “nomeação da nova equipa de gestão” e à “continuação ou não do layoff”, em agosto. “Foi também muito claramente dito, que a TAP que resultar desta crise tem que ser aquela que o país precisa e não uma outra, saída de uma folha de excel, de uma qualquer consultora”, referem os sindicatos.

As organizações representativas dos trabalhadores adiantam ainda que “da parte destes sindicatos, tudo faremos para defender os postos de trabalho e os acordos de empresa”. “Do lado do senhor ministro, ouviu-nos e assumiu o compromisso de ter sempre em conta a opinião dos trabalhadores, de nos ouvir ao longo do processo de recuperação, rejeitando muito claramente a ‘política do facto consumado’”, lê-se na nota.