Sociedade

Homicida do ator Bruno Candé fica em prisão preventiva

Familiares da vítima acreditam que homicídio teve motivações racistas, mas PSP diz não ter indícios que comprovem essa acusação.

O alegado homicida do ator Bruno Candé, morto a tiro no sábado à tarde em Moscavide, vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

O idoso, com cerca de 80 anos, recusou prestar declarações no tribunal.

Recorde-se que a morte de Bruno Candé, de 39 anos, ocorreu em plena via pública.

Segundo familiares da vítima, o arguido terá discutido com o ator dias antes do homicídio e terá proferido insultos racistas.

A família de Bruno Candé acredita assim que o homicídio teve motivações racistas.

No entanto, fonte oficial da PSP diz não ter, até agora, informações que comprovem a acusação.