Cultura

Empreendedores em potência? Este atelier é para os seus filhos

Ter contacto direto com as empresas, desenvolver e apresentar uma ideia e treinar o espírito crítico são alguns dos pontos que farão parte deste original atelier de verão. Uma proposta da Associação Industrial Portuguesa a pensar nos mais novos – e nos pais.

 

Em tempos incertos, as férias letivas que se prolongam até setembro são uma certeza. E, com os devidos cuidados, podem ter o sabor de outros anos - que muitas vezes passa por colónias e ateliers de férias. Há ofertas para todos os gostos e para todas as bolsas um pouco por todo o país, passando pelos habituais acampamentos até a outras propostas menos convencionais. E na hora de procurar ideias fora da caixa para entreter os mais novos e proporcionando-lhes, em simultâneo, ferramentas para o futuro, a Associação Industrial Portuguesa (AIP) traz este ano, e pela primeira vez, uma proposta inovadora: os ateliers de verão ‘Quando eu for grande – O mundo das empresas’. "Existe uma alargada oferta de férias, sobretudo desportivas e de lazer. Enquanto Associação Empresarial, consideramos fundamental estimular a capacidade de iniciativa desde cedo nos mais jovens, para que possamos ter empreendedores no futuro. Assim, parece-nos de toda a oportunidade, apresentar aos encarregados de educação, uma proposta diferenciadora, em tempo de férias escolares, com espaços criativos, inspiradores e de estímulo ao desenvolvimento de competências empreendedoras", notam Filomena Pires e Maria Vieira, da direção de internacionalização da Associação Industrial Portuguesa.

A história começa a ser contada em 2012, quando a AIP levou esta ideia até às escolas, tornando-se "pioneira na introdução da temática do empreendedorismo no 1.º ciclo do ensino básico e no ensino secundário". Ao longo destes anos, mais de 16.200 jovens de todo o país tiveram contacto com este programa – um caminho que a AIP não fez sozinha, explicam as responsáveis. "A ampla abrangência nacional na implementação destes projetos, foi possível pelas importantes parcerias estabelecidas entre a AIP e entidades como autarquias, associações empresariais regionais, agrupamentos de escolas, entidades do ensino privado e empresas, que em cada região, apoiavam os trabalhos desenvolvidos pelos alunos".

Este ano, decidiram que a experiência conquistada poderia ser aplicada de uma outra forma - e assim surgiram os ateliers, pensados para crianças e jovens entre os oito e os 14 anos e que terão duração de uma semana. "Os ateliers vão ser dinamizados por uma equipa interna da AIP, que esteve desde sempre envolvida na implementação dos projetos de empreendedorismo para jovens, nas escolas portuguesas, e na conceção da metodologia e ferramentas utilizadas. Nestas férias, vamos trabalhar com os jovens, competências que estimulem a iniciativa, criatividade, autoconfiança, liderança, trabalho em equipa, responsabilidade e sentido cívico", explicam. O espaço está pensado para, em tempos de pandemia, receber os participantes de forma segura. "Este ano, a COVID 19 limitou as opções de atividades para o período das férias, mas na AIP os jovens dos 8 aos 14 anos irão encontrar um espaço seguro e onde poderão dar largas à sua inesgotável imaginação e espírito crítico", asseguram. E como se dá o contacto direto com as empresas? "Esta é uma das componentes mais interessantes, porque os jovens vão poder ouvir o testemunho de empresários, conhecer os seus percursos empresariais e a criação do negócio, desde: como surgiu a ideia; como foi desenvolvida; o que foi necessário para começar o projeto; como foi financiado; principais riscos e receios até ao crescimento da empresa. Estão igualmente previstas visitas a empresas, se o contexto o permitir, traduzindo-se sempre numa importante experiência para os jovens", antecipam.

A julgar pelo que aconteceu em ambiente letivo - nestes oito anos nas escolas os alunos criaram mais de 2100 projetos neste âmbito - os participantes do atelier deste verão vão sair daqui com projetos na bagagem. E as ideias dos mais novos já surpreenderam a própria associação. "Quando se trabalha com um público tão jovem, numa fase tão inicial do seu percurso de vida, é inevitável tomarmos contacto com ideias empreendedoras realmente surpreendentes", garantem Filomena Pires e Maria Vieira. "Nos mais jovens, surgem muitos projetos ligados à reciclagem de materiais, serviços de apoio à comunidade onde se encontram inseridos, desenvolvimento de produtos com particular relevância na utilização de matérias primas endógenas da região e ideias para melhorarem o seu espaço escolar. Nos alunos do secundário, surgem ideias mais relacionadas com a tecnologia, moda e serviços na web".

Os ateliers vão realizar-se de 24 a 28 de agosto e de 31 de agosto a 4 de setembro, na sede da AIP, em Lisboa.