Vida

Joana Amaral Dias responde a críticas às suas fotografias de biquíni

"Abunda por aí malta que não se impressiona de ver Marcelo em tronco nu ou Costa em calção à beira mar mas acha chocante, em pleno século XXI, ver uma mulher de fato de banho”, lamentou a comentadora.

A psicóloga e comentadora televisiva Joana Amaral Dias esteve no programa Você na TV onde falou com Manuel Luís Goucha sobre o facto de as fotografias que publica no Instagram causarem tanta polémica.

"Sinceramente, acho isto uma coisa banalíssima, estava de fim de semana. Quando estou a trabalhar, por exemplo aqui, estou com uma determinada roupa, é um certo contexto, se estou de fim de semana, estou de biquíni, não vou por um 'burquíni'", disse, referindo-se a uma fotografia que publicou recentemente e que foi alvo de vários comentários negativos.

"Dizem que o biquíni é decotado.... não sei. Quando escolho os meus biquínis escolho porque gosto do modelito", afirmou, sublinhando que esse tipo de comentários reflete uma sociedade “machista e retrógrada”.

De resto, Joana Amaral Dias já tinha respondido às criticas na própria legenda da imagem que publicou.

"Abunda por aí malta que não se impressiona de ver Marcelo em tronco nu ou Costa em calção à beira mar mas acha chocante, em pleno seculo XXI, ver uma mulher de fato de banho. Enfim, todo um lodaçal de preconceito e tentativas de adestramento", escreveu.

"Mas entre esses, confesso que os meus prediletos são os que criticam os meus bikinis porque se vêm as minhas cicatrizes pélvicas. Pois é, é que se notam mesmo as costuras das cesarianas que fui obrigada a fazer para colocar os meus filhos no mundo. E até se notam os furos da laparoscopia a que fui sujeita por causa de uma gravidez ectópica que quase me tirou a vida e me deixou internada durante semanas. Queriam que eu escondesse a minha história e a minha identidade? Que me envergonhasse dessas lutas? Que andasse mais tapadinha? Calada e quietinha, também? Não faltava mais nada. Exacto. De uma maneira, de outra e mais daquela, o corpo da mulher é um campo de batalha. Marcas e sulcos. E com muito orgulho”, acrescentou.

Para a comentadora, que não é alheia a este tipo de polémicas, "as redes sociais são só uma extensão daquilo que é a humanidade, são só um reflexo. Portanto, encontras o melhor e o pior, tal como nas pessoas encontras coisas incríveis, genialidade, empatia, altruísmo, mas também encontras o contrário, ódio, mesquinhez, inveja. Sinceramente, no século XXI, acho isto uma fotografia hiper banal".

Sobre o tema, Manuel Luís Goucha sublinhou ainda que muitas vezes estes comentários são feitos por mulheres, ao que Joana Amaral Dias respondeu que elas “são tão ensinadas no machismo quanto os homens. Às vezes, há mães a ensinarem as filhas a serem ainda mais machistas do que os seus filhos". 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Abunda por aí malta que não se impressiona de ver Marcelo em tronco nu ou Costa em calção à beira mar mas acha chocante, em pleno seculo XXI, ver uma mulher de fato de banho. Enfim, todo um lodaçal de preconceito e tentativas de adestramento. Mas entre esses, confesso que os meus prediletos são os que criticam os meus bikinis porque se vêm as minhas cicatrizes pélvicas. Pois é, é que se notam mesmo as costuras das cesarianas que fui obrigada a fazer para colocar os meus filhos no mundo. E até se notam os furos da laparoscopia a que fui sujeita por causa de uma gravidez ectópica que quase me tirou a vida e me deixou internada durante semanas. Queriam que eu escondesse a minha história e a minha identidade? Que me envergonhasse dessas lutas? Que andasse mais tapadinha? Calada e quietinha, também? Não faltava mais nada. Exacto. De uma maneira, de outra e mais daquela, o corpo da mulher é um campo de batalha. Marcas e sulcos. E com muito orgulho 💪🏻💪🏻💪🏻 Tenham um excelente Domingo! ☀️💋

A post shared by joana amaral dias (@joanaamaraldiasoficial) on