Economia

Novo Banco está proibido de vender ativos até resultados da auditoria serem conhecidos

Executivo pede que resultados sejam apresentados "no mais curto prazo possível", depois de Deloitte não cumprir com o prazo estabelecido.

O Ministério das Finanças proibiu, esta quinta-feira, o Novo Banco de vender carteiras de ativos até os resultados da auditoria serem conhecidos. "No contexto deste atraso, o Governo considera que, até à conclusão da referida auditoria, não deverão ser realizadas outras operações de venda de carteiras de ativos improdutivos por parte do Novo Banco”, lê-se no documento, no qual o Exectivo informa que também o Fundo de Resolução é da mesma opinião.

Em comunicado, a tutela informa - e "lamenta" - que os resultados da auditoria, que está a ser realizada pela Deloitte, não serão conhecidos esta semana, tal como o Governo queria. o ministério tutelado por João Leão informa ainda que se realizará esta sexta-feira, dia 31 de julho, uma reunião na qual serão conhecidos os resultados preliminares de "secções" do relatório.

Segundo a nota, representantes do Fundo de Resolução, Novo Banco e Deloitte irão reunir-se, para que esta última possa apresentar “conclusões preliminares de um conjunto de secções integrantes do relatório de auditoria, para efeitos do exercício de contraditório pela entidade auditada e solicitação de eventuais esclarecimentos adicionais por parte do Fundo de Resolução”.

Recorde-se que o Executivo rejeitou o pedido da empresa para adiar o prazo de entrega da versão final e definitiva da auditoria. Na nota, a tutela pede ainda que o documento esteja pronto "no mais curto prazo possível", de forma a poder ser apresentado na Assembleia da República.