Vinagrete

Piscar de olhos de A. Costa

Estamos a falar de uma esquerda mais dada à contestação social, e a gastar alegremente e infindavelmente dinheiro dos contribuintes empobrecidos em políticas sociais sem fim, muito mais isso do que manifestar realismo político-social.

por Pedro d'Anunciação

Haverá quem não considere realmente estranho o piscar de olhos político de António Costa, quer à direita, quer à esquerda. No último debate do Estado da Nação, disse pretender ter a ‘geringonça’ a funcionar com a esquerda, logo a seguir a aliar-se com a direita do PSD para aprovar importantes diplomas odiados pela mesma esquerda, nomeadamente a parte do novo regimento parlamentar que prevê o fim dos debates parlamentares quinzenais com o primeiro-ministro.

Parece que um comentador do Público tem razão, ao afirmar que Costa quer sobretudo deixar constância de uma abertura à esquerda, recusada por essa mesma esquerda. Para logo a seguir se aliar com mais gosto à direita. Talvez isto faça sentido, se pensarmos que uma aliança à esquerda tem maiores dificuldades de conseguir investimento estrangeiro para Portugal, ou promover a poupança dos nacionais. E ainda por cima estamos a falar de uma esquerda mais dada à contestação social, e a gastar alegremente e infindavelmente dinheiro dos contribuintes empobrecidos em políticas sociais sem fim, muito mais isso do que manifestar realismo político-social.

Porque será difícil perceber que A. Costa é completamente imbecil, e fala do fundo do coração.