Economia

Corticeira Amorim com lucros de 34,27 milhões no primeiro semestre

Na sequência destes resultados, a Corticeira Amorim anunciou ainda que o conselho de administração decidiu não propor, este ano, a atribuição de um dividendo extraordinário em dezembro, que era pago desde 2012. A empresa justifica esta decisão com o a pandemia de covid-19.

 

A Corticeira Amorim fechou os primeiros seis meses do ano com lucros de 34,27 milhões de euros, no primeiro semestre do ano. O valor compara com os 40,35 milhões registados no mesmo período de 2019, o que representa uma queda homóloga de 15,1%, segundo o comunicado divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No comunicado, a Corticeira Amorim refere que excluindo o evento não recorrente associado à venda da US Floors, em 2019, por 2,4 milhões de euros, o resultado líquido teria caído apenas 9,8%. “Sendo este o valor final associado a esta operação, o seu impacto afetou apenas os resultados do período homólogo do ano anterior”, lê-se na nota.

A entidade liderada por António Rios de Amorim informou que as receitas foram de 391,57 milhões de euros, menos 5% face aos 412,24 milhões reportados nos primeiros seis meses de 2019. O EBITDA – lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização – ascendeu a 65,94 milhões de euros, uma queda de 3,4% em comparação com os 68,28 milhões entre janeiro e junho do ano passado.

Na sequência destes resultados, a Corticeira Amorim anunciou ainda que o conselho de administração decidiu não propor, este ano, a atribuição de um dividendo extraordinário em dezembro, que era pago desde 2012. A empresa justifica esta decisão com o a pandemia de covid-19.