Internacional

Explosões em Beirute deixaram cerca de 300 mil pessoas sem casa. UE prepara envio urgente de ajuda

“Perto de metade de Beirute está destruída ou danificada".

As explosões que abalaram Beirute, capital do Líbano, esta terça-feira, terão deixado até 300.000 pessoas sem casa.

“Perto de metade de Beirute está destruída ou danificada", disse o governador da capital do Líbano, Marwan Abboud, estimando que 250.000 a 300.000 pessoas tenham ficado sem abrigo.

O responsável disse ainda que os danos causados pelo incidente “podem ascender a entre três e cinco mil milhões de dólares (2,5 a 4,2 mil milhões de euros)", estando a ser aguardada uma avaliação de especialistas e engenheiros.

De recordar que as duas fortes explosões, que ocorreram de foram sucessiva, e que terão tido origem em materiais explosivos confiscados e armazenados há vários anos no porto de Beirute, causaram mais de cem mortos e mais de quatro mil feridos.

Entretanto, também foi anunciado que a União Europeia (UE) está a preparar o destacamento urgente de meios para ajudar as autoridades libanesas.

"O Mecanismo de Proteção Civil da UE está agora a coordenar o destacamento urgente de mais de 100 bombeiros altamente treinados, com veículos, cães e equipamento, especializados em busca e salvamento em contextos urbanos", lê-se num comunicado do comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic, emitido esta quarta-feira.

Segundo a Comissão Europeia, a Holanda, a Grécia e a República Checa já confirmaram a sua participação nesta operação e a França, Polónia e Alemanha ofereceram ajuda através do mecanismo.