Marketing

As transferências milionárias e a televisão de hoje

As movimentações prometem continuar e podemos dizer que o Verão será escaldante, enquanto equipas de um lado e de outro se reforçam, definem estratégias, escolhem conteúdos, caras e caminhos...

 

Quando falamos em transferências milionárias é normal que pensemos logo no futebol e na esfera galáctica em que se fazem muitos dos negócios.
Mas os últimos tempos da televisão portuguesa são a prova de que o mercado de transferências está aberto e a mexer muitíssimo. 
Ninguém ficou indiferente à mudança da Cristina Ferreira da SIC para a TVI e a verdade é que todos tinham uma opinião a dar. Os que acham que ela foi indecente com a SIC, os que acham que ela faz muito bem em perseguir os seus sonhos, os que acham que isto já se estava à espera, os que acham que ela só quer poder, os que acham que ela é a verdadeira empreendedora e vencedora. 

Independentemente das opiniões o poder do fenómeno Cristina é inegável e a sua transferência para a SIC trouxe a liderança ao canal. Não foi algo feito por ela sozinha, obviamente, e o canal foi-se ajustando em várias áreas e rapidamente trouxe outros pesos pesados para a antena como o também transferido milionariamente Ricardo Araújo Pereira ( e não nos esqueçamos que aí vem agora Bruno Nogueira). É certo que se salienta o trabalho de equipa, a mão e o olho do Daniel Oliveira, mas o furacão Cristina mexeu e bem com a antena, o espetador e até com os canais concorrentes, a adaptarem-se e a jogarem os seus trunfos como podiam.

O regresso à ‘casa mãe’, como a própria apelida, traz muita curiosidade sobre o que fará ela agora que volta como toda-poderosa. E a essa ‘guerra’ de formatos e audiências já começou com Cristina Ferreira a fazer um teasing diário do que está a ser a sua transição para TVI. Já sabemos quem ela levou, quem ela ainda quer levar, só não sabemos o que vai fazer – e não sabemos o essencial, na verdade.

A SIC também desde logo se mexeu e apostou na Casa Feliz que tem liderado e cumprido o seu papel, reunindo todas as suas caras para puxar pelas audiências e reforçando um João Baião, muitas vezes injustiçado mas sempre adorado e aclamado, e indiscutivelmente um senhor televisão.

As movimentações prometem continuar e podemos dizer que o Verão será escaldante enquanto equipas de um lado e de outro se reforçam, definem estratégias, escolhem conteúdos, caras e caminhos. Setembro é já amanhã, como diz a Cristina, e será seguramente um mês de muitas novidades e em que mais uma vez vamos perceber se a apresentadora tem a palavra ‘liderança’ colada a si. 

Um movimento que além de poder mexer com o mercado e com o consumidor pode de facto ser fundamental para as marcas, para as suas estratégias e apostas. Numa altura em que mais do que nunca o conteúdo é mandatório, esta luta de egos, audiências e formatos pode ser uma oportunidade para as marcas comunicarem e continuarem a inovar em conjunto com os meios.

São por isso muitas as dúvidas sobre o que irá acontecer em setembro, entre muitas certezas de quem percebe muito de televisão e já o faz há muito tempo. Portanto, negócios e valores à parte, podemos dizer que a criatividade, talento e inovação serão mais importantes que nunca, numa televisão diferente e cada vez mais digital . E há ainda todo um layer que pode mudar muita coisa que é a pandemia e a sua evolução a partir de setembro. 

Sigamos então esta novela com atenção… cientes de que a qualquer momento uma transferência milionária pode virar completamente o jogo. Tal e qual como no futebol. 

*Diretora Criativa Havas Sports& Entertainment