Sociedade

Co-piloto ferido na queda de Canadair no Gerês foi transferido para Salamanca

Canadair combatia o incêndio no Parque Nacional da Peneda-Gerês, em Lindoso, quando se despanhou a dois quilómetros da fronteira portuguesa.

DR  

O co-piloto ferido na queda do Canadair, que ocorreu no sábado, no Parque Nacional da Peneda-Gerês, foi transferido para Salamanca.

O espanhol, que estava internado no Hospital de Braga, encontra-se estável e fora de perigo, e com fraturas na pélvis, na clavícula e nas costelas.

Segundo o jornal digital Salamanca 24 horas, a família do co-piloto, que tem 39 anos, solicitou a transferência para uma unidade hospitalar espanhola, onde espera que as intervenções cirúrgicas necessárias decorram.

O Canadair combatia o incêndio no parque, em Lindoso, quando se despanhou a dois quilómetros da fronteira portuguesa, razão pela qual são as autoridades espanholas que estão encarregadas de apurar as causas do acidente, que provocou uma vítima mortal, um homem de 65 anos.

Segundo a mesma publicação, as autoridades espanholas desconfiam de que ou o avião voava a baixa altitude e sofreu um impacto ou de que se despenhou por ter tentado evitar o choque com outro meio aéreo de combate a incêndios.

O avião que combatia o incêndio no Parque Nacional da Peneda-Gerês, em Lindoso, concelho de Ponte da Barca, pertencia à empresa Babcok e, como indica ainda a imprensa espanhola, foi alugado juntamente com outros dois meios aéreos que serviram de apoio à extinção das chamas.