Internacional

Menino de cinco anos foi morto a tiro por vizinho enquanto brincava com as irmãs

Cannon Hinnant, de cinco anos, estava no jardim em frente à sua casa, a andar de bicicleta, juntamente com as suas irmãs, de 8 e 7 anos, quando o suspeito se aproximou, apontou uma arma à sua cabeça e disparou. 

Um menino, de cinco anos, foi assassinado a tiro por um vizinho, enquanto brincava com as suas irmãs, no estado de Carolina do Norte, nos Estados Unidos.

Segundo a imprensa norte-americana, que cita fonte policial, o suspeito, Darius Nathaniel Sessoms, de 25 anos, foi detido esta segunda-feira. As autoridades informaram que o crime ocorreu na tarde de domingo, na cidade de Wilson. Cannon Hinnant, de cinco anos, estava no jardim em frente a casa, na sua bicicleta, juntamente com as suas irmãs, de 8 e 7 anos, quando o suspeito se aproximou, apontou uma arma à sua cabeça e disparou. O menino ainda foi transportado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Um vizinho relatou que o suspeito tinha jantado com o pai da vítima, na noite anterior ao crime e que, no dia em que disparou sobre a criança, logo pela manhã, voltou a ir à casa da família.

Doris Lybrand, uma vizinha que testemunhou o homicídio, disse que viu o suspeito a correr para a sua casa depois de disparar sobre a criança. “A minha primeira reação foi que ele estava a brincar com as crianças”, disse Lybrand. “Por um segundo, pensei:‘ Isso não poderia acontecer ’. As pessoas não atravessam a rua a correr e matam crianças”, acrescentou, revelando que assim que viu a reação do pai do menino, ligou imediatamente para o número de emergência.

Semmoms acabou por colocar-se em fuga, mas viria a ser encontrado pelas autoridades no dia seguinte. O suspeito era vizinho da família há vários anos.

A mãe de Cannon, Bonny Waddel, disse, em declarações ao Wilson Times, que o filho devia ter começado a escola na segunda-feira e tinha acabado de aprender a escrever o seu nome. “Ele era apenas um menino amoroso”, disse Bonny. “É devastador. Ninguém deveria ter de enterrar o seu filho. Nenhuma mãe deveria ter de passar por isto”, acrescentou.

A investigação está a decorrer e a polícia continua a pedir o testemunho de pessoas que possam ter alguma informação sobre o crime.
 
As motivações do suspeito são ainda desconhecidas.