Internacional

Avó de Michelle Bolsonaro morreu devido à covid-19

Idosa tinha 80 anos e estava internada desde dia 3 de julho.

A avó da primeira-dama brasileira, Michelle Bolsonaro, morreu de covid-19. Maria Aparecida Firmo Ferreira, com 80 anos, estava internada desde 3 de julho na Unidade de Terapia Intensivos, no Hospital Regional de Ceilândia, no Distrito Federal. 

O Palácio do Planalto, residência oficial do presidente do Brasil, foi contactado pelo G1 para comentar o acidente, contudo, até ao momento o governo ainda não comentou a situação. Segundo o site brasileiro, “há mais de um mês o governo federal mantém o posicionamento de não se pronunciar sobre o estado de saúde [da idosa]”.

Segundo o G1, a idosa foi encontrada “caída na rua, por populares” em Ceilândia, no dia 1 de julho, e foi levada para o hospital com falta de ar, sendo ainda nesse dia encaminhada para o Hospital Regional de Santa Maria.

Durante todo o período em que se encontrou internada, a idosa permaneceu em cuidados intensivo e, apesar de ter chegado a apresentar melhorias em duas ocasiões, no dia 3 de agosto, deixou inclusive a entubação e respirava com ajuda de máscara de oxigénio.

O óbito aconteceu ontem às 2h11. Uma equipe médica foi chamada para auxiliar a idosa que estava a ter uma paragem cardíaca. Ainda foi tentada a reanimação, mas sem sucesso.

“Deus quis levar minha mãezinha. Não acredito. Ela lutou tanto, mas não resistiu”, disse Maria de Fátima Ferreira, tia de Michelle Bolsonaro, a jornalistas.

Esta notícia surge um dia depois de Michelle Bolsonaro ter informado, através das suas redes sociais, que já não está infetada com Covid-19. A primeira-dama brasileira tinha sido diagnosticada com a doença em 30 de julho.

 O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que afirmou que a covid-19 não se tratava mais do que uma “gripezinha”, também foi contaminado com a infeção, mas, no dia 25 de julho, afirmou também estar curado.

O Brasil, é o segundo país do mundo mais afetado pela covid-19 e conta com mais de 3,1 milhões de casos e 103.026 óbitos.