Cultura

Filme de Catarina Vasconcelos venceu mais um prémio

A Metamorfose dos Pássaros venceu ontem o prémio de Melhor Filme num festival de cinema no Kosovo.

‘A Metamorfose dos Pássaros' de Catarina Vasconcelos, venceu ontem o prémio de Melhor Filme do festival DokuFest, no Kosovo. “Depois de ter vencido o prémio da Crítica Internacional - FIPRESCI, na Berlinale, onde teve a sua estreia mundial, o prémio de Melhor Filme no festival de Vilnius, na Lituânia, e o prémio Especial do Júri no Festival de Taipei, em Taiwan, a primeira longa-metragem da realizadora Catarina Vasconcelos vence hoje o prémio de Melhor Filme no festival de cinema DokuFest, no Kosovo, um dos mais importantes festivais de documentário da região dos Balcãs”,  disse ontem a agência Portugal Film - Agência Internacional do Cinema Português.

A Metamorfose dos Pássaros, de Catarina Vasconcelos, teve a a sua estreia mundial na 70.ª edição do Festival de Cinema de Berlim, em fevereiro, na nova secção competitiva Encontros, uma plataforma para "apoiar novas vozes no cinema e dar mais espaço a narrativas diversas e a formas documentais no programa oficial".

O filme é uma produção da Primeira Idade que parte da história da família da realizadora - da história dos avós até chegar à do seu seu pai, Jacinto, irmão mais velho de seis, que perdeu a mãe subitamente, e do encontro da realizadora com ele no dia em que também a sua mãe morreu.  “Ao contrário da minha avó, não sou crente, não acredito em Deus, mas acho que há uma coisa muito forte que nos fica quando se perde alguém, esta coisa de que não percebemos muito bem para onde é que as pessoas foram, que cria um grande desafio em quem somos, porque não são só as pessoas que morrem: a pessoa que éramos com estas pessoas também morre. Então há um grande exercício de reestruturação, não só das famílias, mas de quem nós somos, em relação a muita coisa”, disse a realizadora em ao i após a estreia. “Por isso sem dúvida que para mim o filme tem também um lado catártico, de processo e de investigação (…). Também de mim com o meu pai, com a família: como é que todos nós lidamos com isso e também como é que todos nós, de alguma forma, conseguimos encaixar esse vazio”.