Politica

Cafôfo critica “namoro político” entre Albuquerque e Ventura

Paulo Cafôfo desafia presidente do governo regional a esclarecer se quer ser apoiante do Chega. “Tem andado a brincar à política”, diz.

O líder do PS/Madeira fez duras críticas ao que classificou como um “namoro político” entre Miguel Albuquerque e o líder do Chega. Paulo Cafôfo acusa o presidente do Governo Regional da Madeira de andar “a brincar à política” para “desviar as atenções” dos problemas da região por causa da pandemia.

Miguel Albuquerque esteve entre aqueles que defenderam uma aproximação entre o PSD e o Chega. André Ventura aproveitou e escreveu-lhe uma carta a desafiá-lo para integrar a candidatura presidencial apoiada pelo Chega. Albuquerque ainda não respondeu à carta, mas já garantiu publicamente que a possibilidade de avançar com uma candidatura a Belém “não está encerrada” e que “tudo dependerá das posições e programas que os candidatos, incluindo Marcelo Rebelo de Sousa, tomarem em relação à Madeira”.

Perante este cenário, o líder dos socialistas madeirenses defende, em declarações à agência Lusa, que Miguel Albuquerque deve esclarecer “se quer governar a Madeira, se quer ser apoiante do Chega ou se quer ser Presidente da República”.

Paulo Cafôfo criticou o presidente do Governo Regional da Madeira por “abrir as portas à extrema-direita” e estar a colocar “em causa aquilo que foi construído em termos de princípios democráticos durante mais de 50 anos”.

André Ventura não demorou a responder ao presidente do PS/Madeira. “Os palhaços habituais a serem os palhaços habituais. Nada de novo na República”, escreveu o líder do Chega na sua página do Facebook, partilhando a notícia com as críticas dirigidas a Miguel Albuquerque.

Ao i, André Ventura explica que o líder do PS/Madeira “mostra um profundo desconhecimento do que se passa a nível nacional”. O líder do Chega e candidato à Presidência da República diz que “a Madeira tem sido das regiões mais afetadas nos últimos anos pela inação do Governo e do Presidente da República e, nesse sentido, é normal que o presidente do Governo Regional da Madeira venha a apoiar o único candidato com possibilidade de o vencer e que efetivamente defende a região em matéria fiscal, financeira e de autonomia”.

“Máximo Coordenador” Ventura divulgou esta semana uma carta que enviou a Miguel Albuquerque por causa das presidenciais. O objetivo é convidar o líder do PSD/Madeira “a ser um dos pilares da candidatura como Máximo Coordenador e Representante Político da mesma”. O líder do Chega argumenta, na mesma carta, que já “não há dúvida de que a leve esperança de uma não recondução de Marcelo Rebelo de Sousa” só pode ser alimentada pela sua candidatura.

Manifestação André Ventura está a preparar a campanha presidencial mas, ao mesmo tempo, vai divulgando iniciativas do Chega como mais uma manifestação por causa do racismo. O lema da manifestação, que vai realizar-se em Évora um dia antes do congresso, previsto para dias 19 e 20 de setembro, será “contra a corrupção, racismo é distração”.

Ventura diz ao i que espera realizar “a maior manifestação de sempre contra a hipocrisia do racismo em Portugal” e está a fazer contactos para “afluírem a Évora manifestantes de toda a direita europeia”.

Marine Le Pen é um dos nomes que o Chega já convidou para marcar presença na manifestação e no congresso.