Sociedade

635 anos da Batalha de Aljubarrota. Exército exalta Portugal sem racismo

Nesta cerimónia, o coronel de Infantaria Fernandes Henriques, a quem coube a palestra de homenagem, exaltou os valores  da Independência e da Pátria portuguesa, condenando vivamente os recentes discursos, da extrema esquerda e da extrema direita, que recuperam o tema do racismo no país. 

O Exército assinalou na sexta-feira passada os 635 anos da Batalha de Aljubarrota, no campo de São Jorge (Porto de Mós), com uma missa campal e uma cerimónia de homenagem aos soldados portugueses mortos pelas tropas castelhanas.

Nesta cerimónia, o coronel de Infantaria Fernandes Henriques, a quem coube a palestra de homenagem, exaltou os valores  da Independência e da Pátria portuguesa, condenando vivamente os recentes discursos, da extrema esquerda e da extrema direita, que recuperam o tema do racismo no país. Fernandes Henriques considera mesmo «miseráveis» algumas das referências que têm vindo a público sobre racismo em Portugal. 

Num discurso em que atacou o racismo e em que deixou implícita a condenação das recentes polémicas alimentadas por radicais da extrema-esquerda e de extrema-esquerda, Fernandes Henriques assegurou que os portugueses não são nem nunca foram racistas e sempre, pelo contrário, procuraram reforçar os laços de irmandade com povos de outros continentes. A palestra do coronel de Infantaria durante as comemorações dos 635 anos de Aljubarrota esteve publicada no Youtube, mas ontem o vídeo foi  apagado.