Desporto

Surf. Vasco Ribeiro e Teresa Bonvalot vencem prova na Galiza

A Associação Nacional de Surfistas reagiu a esta vitória, garantido que “os representantes portugueses estiveram em grande destaque ao longo de todo o evento, conseguindo dominar a prova galega do início ao fim”.

Os portugueses Vasco Ribeiro e Teresa Bonvalot conquistaram a 33.ª edição do Pantín Classic Galicia Pro, em Espanha, que este ano não contou para os circuitos da Liga Mundial de Surf (WSL) por causa da pandemia. 

Na final masculina da prova, que, ao contrário do habitual, só contou com surfistas europeus, o tetracampeão português (2011, 2012, 2014 e 2017) Vasco Ribeiro, de 25 anos, superiorizou-se ao espanhol Aritz Aranburu com 13,54 pontos (em 20 possíveis), contra apenas 6,26 pontos do adversário, que já integrou o circuito principal da WSL.

Esta conquista surge depois de o surfista ter admitido, em junho, que se ia afastar do surf profissional. em que aprender a surfar não é fácil. “Eu digo que o mais difícil é deixá-lo. Ainda mais quando temos de desistir por não existirem condições saudáveis para o praticar. Agradeço a todos que acompanharam e contribuíram para o meu percurso durante os últimos anos. Todos os que tiveram nas vitórias e nas derrotas. O meu obrigado.”, disse, na altura, o surfista de 25 anos, atleta profissional com mais de 15 anos de competições, vencedor de circuitos nacionais e internacionais, nas redes sociais.

Já no quadro feminino, Teresa Bonvalot (20 anos), bicampeã nacional (2014 e 2015), venceu a francesa Pauline Ado com 13,50 pontos contra 8,50 pontos da rival, que também já esteve entre a elite mundial.
“No regresso dos surfistas europeus às provas internacionais, os representantes portugueses estiveram em grande destaque ao longo de todo o evento, conseguindo dominar a prova galega do início ao fim”, revelou a Associação Nacional de Surfistas (ANS).

A entidade acrescentou que “os triunfos de Vasco e Teresa expressaram esse domínio português, depois de quatro dias de muita ação, com ondas desafiantes e de potencial”, numa prova que decorreu num contexto diferente, após o cancelamento dos circuitos de 2020 da WSL por causa do novo coronavírus.

Outra modalidade

Os campeões portugueses em título de bodyboard, Daniel Fonseca e Joana Schenker, ganharam a primeira etapa do circuito nacional de 2020, na Praia do Mirante, em Santa Cruz. Daniel Fonseca obteve uma pontuação de 14,83 (em 20 possíveis), com Joel Rodrigues a ficar com o segundo posto, Miguel Adão no terceiro lugar e Manuel Centeno, oito vezes campeão nacional, no quarto. “Estivemos um pouco à espera que começasse o heat e vi que haviam umas ondas que tinham muito mais potencial. Não arrisquei muito, fiz uma pontuação de ‘backup’ [apoio] e depois esperei pela onda em que encaixei três manobras e que me permitiu ganhar a bateria”, revelou Daniel Fonseca.

Na prova feminina, Joana Schenker, ex-campeã mundial (2017), superou as rivais Teresa Almeida, Rita Pires (11 vezes campeã nacional) e Mariana Machado.“Foi um ‘stress’ bom voltar à competição. Senti um pouco o nervosismo e pressão nesta final, que não foi fácil, mas felizmente apareceu uma onda boa para mim. Mas todas surfámos bem na final e foi bom conseguir impor-me e ganhar”, afirmou Schenker.