Economia

Credit Suisse vai fechar 37 balcões na Suíça

A instituição  informou que está em negociações com os representantes dos trabalhadores, com o objetivo de encontrar emprego dentro do banco ou em outros locais para o maior número de pessoas possível.

O  Credit Suisse vai fechar 37 balcões na Suíça para otimizar o seu negócio, revelando ainda que alguns cortes na força de trabalho são inevitáveis.

A instituição  informou que está em negociações com os representantes dos trabalhadores, com o objetivo de encontrar emprego dentro do banco ou em outros locais para o maior número de pessoas possível.

O Credit Suisse, de acordo com a AP, estimou uma poupança anual de custos de 100 milhões de francos suíços (92 milhões de euros) a começar em 2022.

Em julho, o Credit Suisse anunciou que as suas atividades de mercados e de banca de investimento iriam fundir-se numa só divisão, de acordo com o presidente executivo do banco suíço.

Trata-se da primeira decisão estratégica de reestruturação tomada pelo gestor do segundo maior banco da Suíça, que assumiu o cargo em fevereiro deste ano, tendo realçado que o grupo financeiro está a anunciar "uma série de iniciativas estratégicas para melhorar a eficácia e gerar ganhos de eficiência".

O Credit Suisse informou que o lucro no segundo trimestre deste ano subiu 24%, para 1.162 milhões de francos suíços (1.080 mil milhões de euros), superando as estimativas dos analistas.

A restruturação inclui um novo plano de cortes nos custos, sendo que o presidente executivo, Thomas Gottstein, pretende, assim, criar um "grande banco" de investimento global, lê-se num comunicado divulgado na altura e citado pela agência financeira Bloomberg.