Desporto

Naomi Osaka desiste do torneio nos EUA em protesto contra a violência racial

Polícia disparou contra afro-americano, que ficou gravemente ferido, e motivou vário protestos contra o racismo e violência policial, durante os quais duas pessoas foram mortas.

Naomi Osaka desistiu do torneio de ténis de Cincinnati, nos EUA, pouco depois de ter garantido o seu apuramento para as meias-finais da competição. A decisão da atleta foi tomada em protesto contra a violência racial nos EUA, à semelhança do que tem acontecido noutras modalidades, na sequência de um polícia ter disparado contra um afro-americano em Kenosha, no Wisconsin, que ficou gravemente ferido e que levou a vários protestos, que já levaram à morte de duas pessoas.

"Antes de ser atleta, sou uma mulher negra. E enquanto mulher negra acredito que há assuntos importantes que merecem atenção imediata", escreveu no twitter Naomi Osaka, que ocupa o 10.º lugar do ranking da WTA, a Associação de Ténis Feminino.

"Assistir ao genocídio continuado de pessoas negras às mãos da polícia está a deixar-me doente", sublinhou.

"Extremamente cansada de ter a mesma conversa vezes sem conta", a tenista japonesa deixa a pergunta. "Quando é que isto vai acabar?" O protesto de Naomi foi acolhido por outras tenistas, levando a organização a suspender a prova por um dia.

Este não é o primeiro caso de um atleta anunciar o seu não comparecimento em prova.

Jogadores da principal liga de futebol boicotaram cinco jogos na noite de quarta-feira, num protesto coletivo. Por realizar, também ficaram dois jogos da principal liga de beisebol e do campeonato feminino de basquetebol, assim como três partidas dos playoff da NBA, após o boicote dos Milwaukee Bucks.