Internacional

Autoridades abrem "inquérito preliminar" no caso Navalny

Em comunicado, a delegação siberiana do Ministério do Interior explica que têm sido inspecionados os locais por onde passou o líder da posição russa e apreendidos “mais de 100 objetos que podem valer como prova”.

As autoridades russas anunciaram, esta quinta-feira, ter aberto um “inquérito preliminar” ao caso de Alexei Navalny, que está desde o passado dia 20 em coma devido a uma alegada tentativa de envenenamento.

Em comunicado, a delegação siberiana do Ministério do Interior explica que têm sido inspecionados os locais por onde passou o líder da posição russa e apreendidos “mais de 100 objetos que podem valer como prova”.

"O quarto de hotel onde estava a viver" em Tomsk, na Sibéria, e onde terá sido envenenado, foi um dos locais inspecionados e os "dados das câmaras de videovigilância analisados", explicam as autoridades russas.

Depois de ter sido transferido para um hospital em Berlim, os médicos alemães indicaram que o político de 44 anos foi envenenado por "uma substância do grupo dos inibidores de colinestérase", sem conseguirem precisar qual. O Kremlin considera tais conclusões "precipitadas".