Internacional

Países Baixos decretam fim da criação de visons após terem sido detetados focos de contágio

Em causa está o risco de transmissão de covid-19

Os Países Baixos decretaram, esta sexta-feira, o fim da criação de visons devido a vários focos de infeção pelo novo coronavírus em explorações dedicadas à criação dos pequenos mamíferos.

As autoridades holandesas proibiram, em junho passado, o abate de milhares de visons – ou martas, como também são conhecidos – depois da suspeita de transmissão do novo coronavírus a humanos

O governo dos Países Baixos decidiu que todas as explorações relacionadas com este negócio, mesmo as que não tenham sido afetadas pela pandemia covid-19, devem encerrar até março de 2021. A temporada das peles no país começa em novembro e esta será a última para a criação dos animais e sua comercialização. 

A nova ordem governamental vem adiantar uma já existente que exigia o encerramento de todos as explorações até 2024.

Em maio passado, as autoridades holandesas já tinham impedido o transporte das peles de visons em todo o país depois de dois trabalhadores de uma indústria de exploração terem contraído o vírus. Esta medida irá custar aproximadamente 180 milhões de euros ao governo, 140 milhões para indemnizar as empresas que vão ser obrigadas a fechar.

Nos Países-Baixos, em meados deste ano existiam cerca de 130 explorações de visons e mais de 800 mil animais ligados a este setor.